Volvo XC90 T8 AWD Hybrid Plug-in: Se o Pai Natal fosse sueco....

Volvo XC90 T8 AWD Hybrid Plug-in: Se o Pai Natal fosse sueco....
A componente ambiental entrou em definitivo na lista de prioridades dos principais construtores automóveis, multiplicando-se versões híbridas, algumas das quais com função plug-in. A Volvo está na primeira linha desta revolução tecnológica e decidiu integrar tal solução no XC 90, o seu SUV de referência.
 
Como resultado, temos um modelo premium de grandes dimensões e elevada potência, capaz de realizar consumos na casa dos 2,1l/100 km e emissões de CO2 de apenas 49g/km. O segredo está na combinação de um propulsor 2.0 de quatro cilindros, com qualquer coisa como 320 cv, e de um motor eléctrico de 87 cv, com acção directa no eixo traseiro, proporcionando uma potência combinada de 407 cv. 
 
Para além de garantir tracção total ao XC 90, sem a necessidade de eixo mecânico de transmissão, a unidade eléctrica permite dar descanso ao motor de combustão, pelo menos, durante 40 km, o que garante a maioria das ligações diárias de casa para o trabalho sem gastar uma gota de gasolina. 
 
O carregamento da bateria é feito em qualquer tomada eléctrica doméstica e não chega a demorar três horas e uma parte da energia gasta é regenerada nas desacelerações e travagens.
 
Para além disso, através do modo de condução escolhido (cinco opções disponíveis), podemos guardar a energia acumulada na bateria para uma zona do percurso mais própria à condução cem por cento eléctrica, nomeadamente para percursos urbanos ou pequenas deslocações.
 
A tracção total ocorre sempre que os motores trabalham em simultâneo (modo híbrido), ou quando escolhemos tal opção (modo AWD) ou pretendemos alcançar a máxima potência (em modo Power). Aqui, é possível atingir os 100 km/h em apenas 6,2 segundos.
 
O reverso da medalha de tudo isto surge apenas nas viagens mais longas em que, esgotada a carga eléctrica, a regeneração de energia, não basta para reduzir as médias de consumo, que facilmente ultrapassam os 8,5 l/100 km.
 
Porém, o que poupamos durante a semana, no trânsito citadino, compensa perfeitamente o maior gasto nos passeios de domingo. E porque os 407 cv ultrapassam tudo o que poderíamos dizer sobre a performance deste modelo, resta falar da caixa automática de 8 velocidades, que quase não se faz sentir, mas garante eficácia em todos os modos de condução. 
 
Para além disto, este XC 90 oferece tudo aquilo que esperamos num carro de topo, a começar pelo conforto a bordo, potenciado pelo desempenho magnífico da suspensão pneumática (chassis Four-C). 
 
A habitabilidade é das melhores do segmento e até na terceira fila de bancos (este é o único híbrido plug-in com sete lugares) há espaço para viajar tranquilamente.
 
A lista de equipamentos de série é generosa, tal como os pacotes opcionais, que na versão testada pelo JR elevavam em mais de 8.000€ o preço final do XC90. Aqui, destaque para os modernos e completos sistemas de apoio à condução, que tornam este no veículo mais seguro da sua categoria.
 
Agora, já percebeu por que razão esta seria a escolha óbvia do Pai Natal?
 
Paulo Parracho