Voluntariado empresarial leva ajuda e calor humano a instituições

Voluntariado empresarial leva ajuda e calor humano a instituições

O passado dia 11 de outubro ficará por certo gravado no coração de muitos milhares de beneficiários graças à ajuda de mais de 800 voluntários que, em nove localidades de norte a sul de Portugal, tiveram a oportunidade de trocar o seu habitual dia de trabalho por intervenções numa das instituições* de apoio a pessoas ou comunidades mais carenciadas, nomeadamente jovens e/ou idosos em situação de risco.

 

Foram mais de 50 empresas** que responderam ao apelo do GRACE – Grupo de Reflexão e Apoio à Cidadania Empresarial – liberando os seus colaboradores para participarem no GIRO 2013, ou seja, para aderirem à maior ação de voluntariado corporativo realizada no nosso País e que este ano conheceu já a sua oitava edição.

 

Intervenções em áreas tão diversificadas como a requalificação de espaços, a inclusão de pessoas com deficiência, limpeza e reflorestação, educação ambiental, etc, foram concretizadas em localidades como Esposende, Braga, Porto, Coimbra, Lisboa, Oeiras, Cascais, Setúbal e Olhão, beneficiando pessoas carenciadas e comunidades envolventes.

 

“Foi comovente a entrega e a alegria das centenas de voluntários que deram o seu melhor esforço para cumprirem as tarefas que lhes foram destinadas”, sublinham Carolina Leite e Rita Amieiro, responsáveis pelo GIRO 2013, recordando que “o trabalho desenvolvido variou, por exemplo, entre a recuperação de instalações e o voluntariado de competências”, uma novidade nesta iniciativa e uma aposta que consideram definitivamente ganha. 

 

Também para Paula Guimarães, Presidente do GRACE, “foi motivador verificar a consolidação do envolvimento das empresas e dos seus colaboradores nas ações de voluntariado corporativo, o que abre boas perspetivas para o aprofundamento das intervenções nesta área tão importante, no sentido de ajudar a superar carências em tempos de crise especialmente graves”.

Paula Guimarães considera assim que o GIRO 2013 veio confirmar a consistência da atuação do GRACE em matéria de Responsabilidade Social Corporativa, um desafio assumido pelas empresas associadas em parceria com diversas outras organizações, designadamente do Terceiro Setor.

 

*As instituições envolvidas foram: ACAPO/Gulbenkian; Aldeias SOS Bicesse; Associação Movimento MAIS – Movimento de Apoio à Inserção Social; Centro Social e Paroquial Nossa Senhora de Porto Salvo; Cercica; CerciOeiras; Comunidade Vida e Paz; Confraria São Vicente de Paulo; Esposende Ambiente; Fundação Mata do Buçaco; Grupo Flamingo (2 locais); Habitat for Humanity; Parque Natural da Arrábida e Serve The City (2 ações).

 

 **As empresas aderentes foram: AdvanceCare; Alcatel-Lucent; Alvo; ANA Aeroportos; Auchan; BES; BP; BSD Consulting; CAOS; CRBA; Delta Cafés; DHL; Ecoprogresso; Esposende Ambiente; Essilor Portugal; Eurest; Everis; Fagor; FCB&A; FilmBrokers; Fundação EDP; Fundação PT; Grupo CH; H Tecnic; Hill&Knowlton; IBM; Indesit; Jones Lang LaSalle; JWT; Lift Consulting; Linklaters; Merck, Sharp & Dohme; Miranda, Correia, Amendoeira & Associados; Mobilidade Positiva; Montepio; NYSE Euronext; Peviconta; Peviseg; Pfizer; Pousadas de Portugal; PwC; Quima; Resiquímica; Ritz FourSeasons Hotel Lisboa; RZK; SAP; Servilusa; SIPRP; SoundStation; Unicer; Vale de Lobo; Vieira de Almeida & Associados; Wipro; Xerox.

 

Mais sobre o GIRO

Iniciativa de voluntariado corporativo com maior dimensão nacional que já contou, nas suas sete anteriores edições, com mais de 3.700 voluntários de empresas associadas do GRACE e 15 mil beneficiários em todo o País. No âmbito do GIRO são realizadas várias intervenções de um dia a nível nacional, tendo como objetivo trabalhar, por exemplo, a inclusão social, a defesa dos animais ou a recuperação de espaços naturais.

 

Mais sobre o GRACE

O GRACE - Grupo de Reflexão e Apoio à Cidadania Empresarial - foi formado em 25 de fevereiro de 2000 por um conjunto de empresas, maioritariamente multinacionais, que tinham como denominador comum o interesse em aprofundar o papel do setor empresarial no desenvolvimento social. O GRACE foi pioneiro enquanto associação portuguesa sem fins lucrativos dedicada à problemática da Responsabilidade Social Corporativa.