Vodafone Mexefest: dois dias de música sem parar

Vodafone Mexefest: dois dias de música sem parar

As estreias em Portugal do músico francês Woodkid e da tripla brasileira Cícero, Momo e Wado, e o regresso das britânicas Savages integram o cartaz do festival Vodafone Mexefest, hoje e sábado, em vários espaços de Lisboa.

O festival mantém o figurino de edições anteriores, com concertos em simultâneo em várias salas da capital, entre a avenida da Liberdade e a Baixa, às quais se acede com apenas um bilhete (a trocar por uma pulseira), tornando possível ao espetador traçar um roteiro de atuações que pretende ver.

No total serão cerca de 50 atuações, a partir das 20:00, como a do músico e artista plástico angolano Nástio Mosquito, que lançou este ano o duplo álbum "Se eu fosse angolano", e que tem no festival um dos primeiros concertos em Portugal.

Entre as estreias, assinala-se a do francês Yoann Lemoine, realizador de vídeos de música e designer gráfico que enveredou pela música adotando o nome Woodkid, e a parceria de três nomes da nova cena musical brasileira - Cícero Lins, Momo e Wado.

Pela primeira ves em Lisboa estão o brasileiro Silva, que tem estado em digressão pelo país como álbum "Claridão", os britânicos Daughter e o quarteto feminino britânico Savages, na senda do pós-punk, que se apresentou em maio no Primavera Sound, no Porto.

A investida portuguesa passa por Legendary Tigerman, pela fadista Gisela João, a dupla eletrónica Octa Push, o músico do hip hop Sensi, pela cantora Márcia (com Samuel Úria e António Zambujo) ou ainda pelos peixe:avião.

Do conjunto de espaços que integram o festival, este ano o Teatro Tivoli saiu de cena, dando lugar ao Coliseu dos Recreios e ao Palácio da Independência, aos quais se juntam as duas salas do cinema São Jorge, o BES Arte & Finanças, o Ateneu Comercial de Lisboa, a Sociedade de Geografia de Lisboa e a Casa do Alentejo.

Sendo um festival para andar de mapa e alinhamento na mão, toda a programação poderá ser consultada em www.vodafonemexefest.com.