Renault Mégane 1.2 TCe: Verdadeira alternativa ao Diesel...

Renault Mégane 1.2 TCe: Verdadeira alternativa ao Diesel...
Renault Mégane estreia motor 1.2 TCe Energy


Num mercado de forte apetência para o Diesel, surgem cada vez mais e melhores alternativas a gasolina. Aproveitando a actualização da gama Mégane, a marca francesa decidiu apostar também num propulsor mais compacto e de baixa cilindrada, com ganhos evidentes na economia e, sobretudo, no preço final. Através da introdução de alguma da tecnologia testada na Fórmula 1, nasceu assim o motor 1.2 TCe Energy de 115 cv, de injecção directa e sobrealimentado, que se traduz numa agradável surpresa.
Com este motor de arquitectura quadrada, conseguimos ter um carro ágil, dinâmico, de sangue na guelra, que apesar de ter apenas 1197 cm3 apresenta ‘performances’ comparáveis a um dois litros (binário máximo de 190 Nm, disponível em 90% logo a partir das 1500 rpm). Ou seja, através deste bloco em alumínio, associado a uma bem escalonada caixa de seis velocidades, o Mégane 1.2 TCe distingue-se pela suavidade, apresenta baixo nível de ruído e de vibrações, mas consegue recuperações a baixos regimes dignas de um Diesel.
Os consumos que registámos ficaram distantes dos 5,3 l/100 km anunciados pela marca, mas ainda assim num nível muito positivo: 6,9 l/100 km, num misto entre cidade, estrada e auto-estrada. Aqui, refira-se que o sistema ‘stop&start’ com recuperação de energia na travagem e na desaceleração contribui para conter os gastos no trânsito da cidade.
A actualização da gama Mégane trouxe outras novidades do ponto de vista estético e ao nível da recheada lista de equipamento, com retoques nos faróis, grelhas e pára-choques e evoluções na qualidade dos materiais.
O conforto continua a ser o característico da marca e nesta versão Berlina de cinco portas apenas o espaço para passageiros nos bancos traseiros perde alguns pontos para outras propostas.
Com campanhas promocionais e condições de financiamento vantajosas, esta pode ser uma boa opção para quem procura um bom carro, com preços na casa dos 22 500 euros. Custa menos 3000 euros que a versão Diesel equivalente (1.5 dCi, de 110 cv). Refira-se ainda que a marca oferece garantia de 5 anos ou 150 mil quilómetros.

Gama Renault Mégane cheia de novidades

No exterior são pequenas grandes alterações que fazem a diferença. No habitáculo há novidades nos ambientes e uma panóplia de novos equipamentos. Mas é sob o capot que se escondem os maiores segredos do novo Renault Mégane: uma nova gama de motores mais económica, mais ecológica, com melhores performances e que é “só” a referência do mercado, independentemente do segmento de potência.

Ou seja, o novo Renault Mégane está mais atraente, mais moderno, mais distinto, melhor equipado, mais emocional, mas também mais racional, seja nos custos de utilização como de aquisição. Sim, na comparação com o seu antecessor, o novo Renault Mégane oferece mais por menos e isto é válido para as diferentes versões das carroçarias Berlina, Sport Tourer e Coupé, ainda que, por agora, apenas nos detenhamos nas duas primeiras…

 

E o novo Renault Mégane é paradigmático de que a razão e a emoção podem conviver de forma perfeita. As alterações estéticas da dianteira tornam-no mais atraente, mais moderno, mais distinto. Para isso contribui a iluminação diurna com tecnologia LED, uma nova grelha, um novo guarda-lamas, as novas protecções laterais, bem como a incorporação de elementos em preto lacado e em cromados. Alterações que não deixam ninguém indiferente…

 

Já no habitáculo, sobressaem os novos ambientes, com destaque para os novos tecidos, os novos grafismos dos manómetros e, entre outros pormenores, o significativo reforço do equipamento. Nesse sentido, as novidades são:

• O Visio System®, um dispositivo que tem uma dupla funcionalidade inédita: faz a comutação automática dos médios e máximos (que permite circular entre quatro a cinco vezes mais tempo em máximos) e emite um sinal acústico de alerta de mudança de faixa sempre que a manobra não é assinalada com a activação dos “piscas”. Ou seja, mais segurança nocturna e mais concentração, são os benefícios associados ao Visio System®.

• A câmara de ajuda ao estacionamento traseiro que, ao permitir visualizar, de forma precisa, as imediações do veículo, faz com que a manobra possa ser efectuada com toda a segurança.

• O novo sistema de ajuda ao arranque em declive que, associado ao travão de parqueamento automático, mantém a pressão nos travões durante alguns segundos, dando o tempo suficiente para o condutor engrenar a mudança, sem recuo do automóvel.

• O indicador luminoso "modo auto-estrada": um impulso ligeiro no comando acciona uma série de três sinais para avisar da mudança de via.

E no que toca ao bem-estar a bordo:

• O Air Quality Sensor que, mais não é do que um sensor de toxicidade incorporadona climatização automática bi-zona, que controla a qualidade do ar exterior que entra no habitáculo e inicia, automaticamente, a sua reciclagem.

• Os novos rádios R-Plug&Radio+, que integram as funcionalidades Bluetooth® mãos-livres e audio-streaming para ouvir música (leitor nómada), bem como as entradas USB e jack para poder seleccionar a música através dos comandos no volante.

• E, como sempre, o sistema de navegação Carminat TomTom® e os seus serviços LIVE (HD Trânsito, Alerta de zonas complicadas, Google Search e previsões meteorológicas).

 

Depois dos pormenores que a vista alcança (e nalguns casos os sentidos sentem), é altura de falar dos geradores de emoções e que, não raras vezes, são o que determinam a compra de um bem tão importante como o automóvel. Claro que nos referimos aos motores e, nesse capítulo, há tanto para dizer em relação ao novo Renault Mégane.

Afinal, é comercializado com cinco motorizações (neste número não está contabilizado o bloco a gasolina 2.0 Turbo do Mégane R.S.), com três, da nova família Energy, a constituírem uma novidade absoluta na gama.

Motores que, nos segmentos de potência respectivos, não têm rival, nomeadamente em consumos, mas também em performances.

O novo e revolucionário 1.2 TCe de 115 cavalos reúne as características necessárias para que os motores a gasolina voltem a ser populares. Um bloco tecnologicamente bastante evoluído e que se caracteriza pelos reduzidos consumos e emissões, por um conforto de condução em tudo idêntico a um diesel e por performances ao nível de motores de cilindrada superior.

Em relação aos diesel, referência para o 1.5 dCi 110, mas com novos argumentos tecnológicos, com reflexos significativos na redução dos consumos e das emissões – recorde na categoria!

Uma referência final para o 1.6 dCi 130 que, pela primeira vez, passa a estar disponível na gama Mégane. O motor tecnologicamente mais avançado do segmento, com melhores performances, melhores consumos e menores emissões…

Uma gama de motores que incorpora tecnologias oriundas da experiência e do knowhow obtido pela Renault na Fórmula 1.

 

 

Renault Mégane