Vandalismo provoca prejuízos anuais de 15 mil euros à Junta de Queluz

Vandalismo provoca prejuízos anuais de 15 mil euros à Junta de Queluz

O presidente da Junta de Queluz, em Sintra, revelou hoje que a autarquia tem prejuízos anuais de cerca de 15 mil euros, devido a atos de vandalismo nos espaços verdes, como roubo de material e corte de árvores durante a noite.
"De há quatro anos para cá que temos vindo a ser alvo de violência sobre os nossos bens. Na segunda-feira, alguém foi ao Parque Urbano Felício Loureiro durante a madrugada e cortou três árvores ao meio", disse Barbosa de Oliveira à agência Lusa.
Segundo o autarca, os atos de vandalismo nos espaços verdes da freguesia tinham como alvo, por norma, a retirada de sistemas de rega ou de equipamentos dos parques, avaliados em centenas de euros, mas desta vez, e de "forma estranha" foram as árvores a serem vandalizadas.
Barbosa de Oliveira adiantou que, recentemente, também foram destruídas dezenas de árvores que ainda estavam em crescimento: "Cortaram a crista de várias árvores. Só pode ter sido feito por alguém com conhecimento nesta área, porque desta forma impedem o crescimento das árvores".
Através da página da Junta de Freguesia na internet, Barbosa de Oliveira pediu à população para que esteja atenta e vigie e alerte para estes atos de vandalismo.
Fonte da PSP disse à agência Lusa que a polícia está a investigar estes atos de vandalismo.
"Estas situações parecem ser feitas propositadamente para causarem prejuízo à Junta de freguesia. Parecem atos de vingança. A PSP já contactou com moradores dos locais, mas até ao momento não há testemunhas que tenham visto alguém a trabalhar com motosserras na zona", afirmou a fonte policial.