Utentes dos Transportes Lisboa fazem vigília de protesto junto à residência do PM

Utentes dos Transportes Lisboa fazem vigília de protesto junto à residência do PM
A Comissão de Utentes dos Transportes de Lisboa promove, na quarta-feira, uma vigília de protesto junto à residência oficial do primeiro-ministro, por falta de resposta às denúncias que tem vindo a fazer desde o ano passado.
 
Em declarações à Lusa, Cecília Sales, da Comissão de Utentes dos Transportes de Lisboa, avançou que a vigília/concentração prende-se com o facto de não haver resposta às denúncias que a comissão tem vindo a fazer desde o ano passado, nomeadamente "de todos os problemas do Metropolitano de Lisboa".
 
"Continua a haver tempos de espera exagerados para uma rede de metro onde não era hábito. Na linha Verde continuam a circular apenas três carruagens e não há resposta às nossas denúncias. A empresa veio justificar a paragem de 20 carruagens, que não têm rodas, com a aquisição de material e ainda não foram reparadas. A linha Vermelha que não tinha problemas, agora já começa a registar alguns também", adiantou Cecília Sales.
 
A vigília está agendada para as 17:30 e será iniciada com um "freeze flash mob/manequin challenge", estando igualmente prevista a entrega simbólica de uma carruagem ao primeiro-ministro, António Costa, por conta das 20 carruagens paradas e da quarta em falta na linha Verde.
 
"Tivemos um aumento de 1,5 % nos transportes públicos este ano. É incoerente. O serviço degrada-se cada vez mais. Não há respostas e ainda levamos com um aumento de 1,5%", desabafou Cecília Sales.
 
A comissão apelou ainda a que os utentes na próxima quarta-feira levem uma lata de sardinhas para oferecer a António Costa, lembrando que é dessa forma que estes se sentem todos os dias: "como sardinhas em lata".
 
A última ação pública promovida pela Comissão de Utentes aconteceu a 04 de janeiro, junto à estação de Arroios, para reivindicar comboios de quatro carruagens na linha Verde do Metro, em vez das atuais três.
 
Na ocasião, Cecília Sales avançava que "a quarta carruagem foi retirada em 2012 e não foi reposta".
 
"Não nos parece que haja dificuldade técnica em repor a quarta carruagem até ao início das obras", acrescentou, referindo-se aos trabalhos para alargamento do cais da estação de Arroios, que vão começar no segundo semestre deste ano.
 
Na linha Verde circulam apenas comboios com três carruagens, porque o cais em Arroios é curto e não permite comboios de seis carruagens, como os que circulam nas restantes linhas.