Utentes apelam aos trabalhadores do Metro para que não sacrifiquem os passageiros nas suas lutas

Utentes apelam aos trabalhadores do Metro para que não sacrifiquem os passageiros nas suas lutas

O Movimento de Utentes do Metro de Lisboa apelou hoje aos trabalhadores daquele transporte da capital para que "não sacrifiquem os passageiros nas suas lutas" e pedem serviços mínimos na greve de 31 de outubro.

Os trabalhadores do Metropolitano de Lisboa decidiram agendar uma greve de 24 horas para o dia 31 de outubro, depois de 36 organizações sindicais e comissões de trabalhadores do setor dos transportes terem decidido avançar com uma quinzena de greves, entre a próxima sexta-feira e dia 08 de novembro.

Numa nota enviada à agência Lusa, a direção do Movimento de Utentes do Metro de Lisboa considera que "são sempre os mesmos a serem prejudicados pela paralisação de um meio de transporte que pagaram atempadamente", apelando aos funcionários do metro para que "não sacrifiquem os passageiros nas suas lutas".

Por outro lado, os utentes exigem "o funcionamento de serviços alternativos capazes em cumprimento da Constituição", ou seja, que estejam garantidos os serviços mínimos.

"O direito de circulação de pessoas ou o seu direito ao trabalho devem ser garantidos, sobretudo neste contexto social de enormes dificuldades económicas que não permitem aos trabalhadores darem-se ao luxo de se transportarem de táxi ou chegarem atrasados às empresas", afirmou o movimento.

Em causa para os trabalhadores do Metro de Lisboa está a proposta de Orçamento do Estado (OE) para 2014, que prevê reduções salariais, concessão das empresas públicas de transporte a privados e a redução das indemnizações compensatórias, entre outras medidas.

Os representantes dos trabalhadores decidiram, ainda, exortar os deputados a reprovarem o OE, a pedirem ao Tribunal Constitucional a sua fiscalização preventiva e realizar uma nova reunião a 08 de novembro.

Além da greve do Metropolitano de Lisboa, já estão também agendadas as paralisações dos CTT (25 de outubro), da Transtejo e Soflusa (02 a 09 de novembro, três horas por turno), da CP e CP Carga (07 de novembro, todo o dia), da Carris (no mesmo dia, das 09:30 às 15:30), dos Transportes Coletivos do Barreiro (06 de novembro) e dos STCP (07 de novembro, entre as 08:00 e as 16:00).