Unidade Saúde Familiar da Pontinha, Odivelas, inaugurada debaixo de críticas

Unidade Saúde Familiar da Pontinha, Odivelas, inaugurada debaixo de críticas
A nova Unidade de Saúde Familiar (USF) da Pontinha, Odivelas, foi hoje inaugurada nas instalações do Centro de Saúde que partilha com a USF de Carnide, Lisboa, debaixo de algumas críticas.
 
Depois da inauguração, que teve a presença do Secretário de Estado Adjunto do Ministro da Saúde, Fernando Leal da Costa, do presidente da Câmara Municipal de Odivelas, Hugo Martins, e da presidente da Junta de Freguesia da Pontinha, Corália Rodrigues, o presidente da Junta de Freguesia de Carnide (CDU) aproveitou para questionar o governante acerca da falta de médicos na USF daquela freguesia.
 
“Não fui convidado, mas não quis deixar de estar presente. Nem todos ficaram a ganhar [com a partilha do centro de saúde]. Ainda há muitos residentes em Carnide à espera para serem atendidos nesta USF”, disse Fábio Sousa ao secretário de Estado.
 
Segundo o presidente da Junta, quem reside no outro lado da rua não se pôde inscrever naquele centro de saúde e tem de ir a Benfica para ir ao médico.
 
O autarca aproveitou, ainda, para questionar a contratação de um médico prometido para Carnide há um ano pelo ministro da Saúde.
 
Também uma utente não quis deixar de expressar a sua indignação e disse a Fernando Leal da Costa que a divisão do centro de saúde é “injusta” e foi “dada de mão beijada à Pontinha”.
 
“Isto foi feito pela Junta de Carnide, para Carnide, para que os utentes de Carnide tivessem médico de família e no fim foi dado a Odivelas”, lamentou.
 
Aos jornalistas, o secretário de Estado admitiu que aquele centro de saúde “não serve toda a população inscrita que reside em Carnide, mas serve os da Pontinha”.
 
Quanto aos utentes de Carnide que têm de se deslocar ao centro de saúde de Benfica para serem vistos por um médico de família, Fernando Leal da Costa disse que “é mais perto do que a distância que, infelizmente, algumas pessoas têm de percorrer no interior do país”.
 
“Este assunto tem de ser visto na relevância própria da dimensão do problema”, concluiu.
 
Referindo-se à contratação do médico prometido há um ano, o secretário de Estado disse que, “se ainda não foi colocado um médico aqui, foi porque ainda não houve oportunidade”.
 
Questionada pelos jornalistas, a coordenadora da USF de Carnide, Lucília Martins, disse que aquela unidade serve exatamente a mesma população que era servida pelo antigo centro de saúde e que “há muitos utentes que moram em frente e, por comodidade, pretenderam ir para aquela USF”, mas não têm vaga.
 
A USF de Carnide tem atualmente seis médicos e serve 11 mil utentes, enquanto a USF da Pontinha vai arrancar com seis médicos mas pretende expandi-los até dez para um universo de 19 mil utentes.
 
O novo Centro de Saúde era exigido pela população de Carnide desde, pelo menos, 2005, ano em que o então presidente da Junta de Freguesia, Paulo Quaresma (CDU), entregou na Assembleia Municipal de Lisboa um abaixo-assinado com 2.000 assinaturas a pedir a sua construção numa “parcela de terreno a poente da Casa do Artista”, onde estava instalado o parque dos artistas de circo.
 
Em agosto do mesmo ano, a Assembleia Municipal aprovou a cedência do terreno à Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo para a construção do equipamento.
 
A cedência do terreno, com um valor estimado na altura em 1,9 milhões de euros, para a construção do centro de saúde de Carnide apenas foi aprovada pela Câmara de Lisboa em 16 de setembro de 2009.
 
A USF de Carnide foi inaugurada em agosto de 2014.