Um milhão de euros para reabilitar jóia manuelina

Um milhão de euros para reabilitar jóia manuelina

A Igreja da Conceição Velha, o segundo maior templo da Lisboa manuelina, depois dos Jerónimos, vai ser recuperada pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, que aí teve a primeira sede própria, antes do Terramoto de 1755. Segundo a instituição, estes "é dos maiores investimentos feitos na recuperação do nosso património, nas últimas décadas. À população será devolvido todo o espaço para a prática religiosa, além de se criarem novas valências para atrair visitantes e dignificar este Monumento Naciona"l, que serão dadas a conhecer no dia 29 de outubro, às 12h00, numa sessão que acontece na igreja, situada na Rua da Alfândega, em Lisboa.

Pedro Santana Lopes, Provedor da Santa Casa e o Padre Mário Rui Leal Pedras, pároco da Igreja da Conceição Velha, vão formalizar o projeto e respetivo investimento, nesta cerimónia em que marcam presença personalidades e agentes da Cultura em Portugal.

O elo histórico e a aposta da Santa Casa na preservação da Memória e do Património Arquitetónico e Artístico Nacional são argumentos de força para o apoio a esta intervenção, realizada com caráter de urgência, face ao estado de deterioração do edifício.

A Igreja da Conceição Velha é Monumento Nacional desde 1910, bem patrimonial de excecional importância histórico-artística, para a Santa Casa, como para a cidade e o País. O seu portal  – considerado um dos mais relevantes exemplos do Manuelino, equiparado ao do Mosteiro dos Jerónimos e da Torre de Belém –, assim como um baixo relevo de Nossa Senhora da Misericórdia e a capela do Santíssimo Sacramento, são tesouros desta igreja, que D. José mandou reedificar sobre as ruínas da antiga Igreja da Misericórdia, destruída pelo Terramoto de 1755.