Turismo em Lisboa cresceu cinco por cento

Turismo em Lisboa cresceu cinco por cento

O turismo em Lisboa registou nos meses de verão um crescimento na ordem dos cinco por cento em relação ao mesmo período do ano passado, revelou à Lusa o director-geral do Turismo de Lisboa.

“Tivemos um aumento na ordem dos cinco por cento e um aumento de turistas internacionais”, disse Vítor Costa.

Segundo o responsável, este aumento “corresponde às expectativas”, porque “não era esperado um grande incremento” dos turistas devido à actual conjuntura de muitos mercados europeus.

“Há mercados importantes para nós que estão em situação difícil: o nacional, o espanhol, que é o primeiro mercado para nós e também está a sofrer com a crise, e o italiano”, indicou o director-geral do Turismo de Lisboa.

“Por outro lado, fomos compensados pelo crescimento de outros mercados, como o brasileiro, o escandinavo, o francês, o polaco e o russo”, acrescentou.

A maioria dos turistas que visitam a capital portuguesa tem entre os 25 e os 44 anos, tem um grau de formação superior e viaja acompanhada.

Tem-se ainda registado um aumento muito significativo dos turistas mais jovens nos últimos anos, mas como muitos não ficam instalados na hotelaria tradicional, não se sabe o que representam estatisticamente, alertou.

No turismo sénior, não há um crescimento muito significativo.

Vítor Costa frisou ainda que Lisboa “está cada vez mais forte em termos de marca turística” e que esse é “um percurso que se está a verificar com muita persistência”.

De acordo com o responsável, Lisboa é actualmente uma das cidades líderes do grupo dos ‘city breaks’ (viagens de curta duração a cidades).

O director-geral do Turismo de Lisboa acredita que a tendência de crescimento do turismo “vai manter-se” e desafiou os hoteleiros a rentabilizarem mais os seus resultados.

“Estamos com um aumento na ordem dos cinco por cento, mas esse valor não corresponde a um aumento semelhante para a hotelaria. Se há um crescimento do número de hóspedes, talvez haja margem para melhorar a sua rentabilidade”, defendeu.