Tudo a postos para mais um Estoril Open

Tudo a postos para mais um Estoril Open

O argentino Juan Martin del Potro e a espanhola Anabel Medina Garrigues, o “Nadal do circuito feminino”, entram na 23.ª edição do Estoril Open em ténis, entre 30 de Abril e 6 de Maio, para um inédito “título duplo”.

Em 22 edições anteriores, embora só a partir da nona tenha começado o sector feminino, nunca os dois campeões revalidaram o título “emparelhados”, um cenário inédito que se conjuga com a primeira vez que dois jogadores portugueses entram directamente no quadro masculino.

Rui Machado e Frederico Gil, inesperado finalista da edição de 2010, são os autores da proeza e prometem passar alguns dias no Jamor, embora o primeiro tenha começado a época só com derrotas, inferiorizado por uma lesão.

Em masculinos, outros três campeões do histórico do torneio português dão colorido ao cartaz deste ano: o argentino Juan Ignacio Chela (2004) e os espanhóis Juan Carlos Ferrero (2001), que chegou a liderar o “ranking” mundial, e Albert Montanes (2009 e 2010), “carrasco” de Gil há dois anos.

Para cativar a “rumaria” até ao Jamor estão outros dois franceses, Gael Monfils, um “residente” habitual entre a elite do “top-10”, e Richard Gasquet, finalista de 2007, ano da consagração do sérvio Novak Djokovic, o actual líder incontestável do “ranking” mundial.

Como apostas quase pessoais de João Lagos, o director do torneio que vai desempenhando o papel de “olheiro”, surgem o australiano Matthew Hebden, o holandês Robin Haase e o uzbeque Denis Istomin.

Em femininos, Garrigues, uma das maiores especialistas em terra batida, assume-se como grande candidata à revalidação do título e a igualar um feito que só outra jogadora conseguiu, a compatriota Magui Serna, a única bicampeã do Estoril Open (2002 e 2003).

Mas outros nomes, como os das russas Nadia Petrova, antiga número três do Mundo, e Maria Kirilenko, campeã no Estoril Open em 2008, oferecem à 23.ª edição um dos quadros mais fortes de sempre.