Tróia recebe estrelas do entretenimento digital no festival Trojan Horse was a Unicorn

Tróia recebe estrelas do entretenimento digital no festival Trojan Horse was a Unicorn

O vencedor do Óscar para efeitos visuais com o filme Avatar, Andrew Jones, é um dos convidados da 2ª edição do festival Trojan Horse was a Unicorn, dedicado ao entretenimento digital, de 17 a 20 de setembro, em Tróia.

O Trojan Horse was a Unicorn, organizado pela empresa Yellow Mammoth, é um projeto sem fins lucrativos em que as receitas revertem para o desenvolvimento da indústria do entretenimento digital em Portugal e para atribuição de bolsas a estudantes e profissionais da área.

"Acredito seriamente que temos condições para começar a potenciar esta indústria em Portugal. Ainda não temos maturidade para produzir para o mercado mundial, mas temos excelentes condições para receber produções internacionais", disse à Lusa André Luís, um dos responsáveis pela organização do evento.

"Os jovens portugueses têm talento e formação de base tecnológica e criativa e o País oferece excelentes condições geográficas e climatéricas: tem neve, mar, paisagens montanhosas, cidades modernas ou aldeias medievais e uma gastronomia a que nenhum dos praticantes é insensível", justificou, convicto de que o evento constitui também uma "excelente oportunidade para promover o País como destino de férias".

Apesar das vantagens competitivas que Portugal pode oferecer, André Luís considera que é fundamental envolver o governo e as autarquias nesta estratégia de captação de grandes produções, lembrando que já se perdeu a oportunidade de conquistar uma produção da Nickoledeon, da Disney, no valor de 15 milhões de dólares, "porque o Governo português não respondeu a tempo".

"Perdemos essa grande produção, mas há muitas mais para conquistar, desde que todos os agentes percebam que se trata de uma excelente oportunidade para atrair investimento estrangeiro, numa área em que podemos vir a ser muito competitivos", disse.

"Temos todas as condições para nos envolvermos nesta indústria de biliões", frisou André Luís, convicto de que a península de Troia será, cada vez mais, uma referência na indústria do entretenimento digital.

Como também salienta André Luís, o festival de Troia começa a ser conhecido a nível internacional e é já considerado como o evento do género que apresenta o melhor cartaz, com a presenças de alguns dos melhores profissionais de uma das maiores indústrias do mundo, que movimentos biliões de dólares todos os anos.

Além da presença de Andrew Jones, o Trojan Horse was a Unicorn conta também com a presença de Syd Mead, criador do universo de ficção de Blade Runner, e de Scott Ross, embaixador do festival, que trabalhou com George Lucas e que, juntamente com James Cameron, fundou a empresa Digital Domain, vencedora de 2 óscares e que teve ainda mais três nomeações.

De acordo com André Luís, o Trojan Horse was a Unicorn 2014 deverá ter cerca de 500 participantes de mais de 40 países.