Tribunal de Sintra suspende de funções polícia detido por lenocínio

Tribunal de Sintra suspende de funções polícia detido por lenocínio

O Tribunal de Sintra ordenou a suspensão de funções do polícia da esquadra de Rio de Mouro, no concelho de Sintra, detido na quinta-feira por suspeitas de lenocínio, disse à Lusa fonte da PSP.
Segundo a fonte, o tribunal aplicou ainda ao polícia, como medidas de coação, apresentações diárias no tribunal de Sintra e a proibição de permanência na esquadra da PSP de Rio de Mouro.
O agente da PSP foi detido na quinta-feira durante uma busca policial a uma residencial alegadamente utilizada para prostituição, no âmbito de uma investigação iniciada em 2012.
A polícia deu cumprimento a um mandado de busca ao estabelecimento e a três de busca domiciliária, tendo detido outro homem, proprietário do espaço, e uma mulher, por suspeitas do crime de lenocínio - incentivo à prostituição com fins lucrativos.
Presentes terça-feira a tribunal para primeiro interrogatório judicial, o proprietário do estabelecimento vai ficar em prisão preventiva e a mulher está obrigada a apresentações bissemanais à esquadra da sua área de residência.
Segundo a fonte da PSP, o estabelecimento ficará encerrado até ao final do julgamento.
Durante a ação policial, foram apreendidos uma pistola municiada de calibre 6.35 milímetros (mm), uma soqueira, equipamento de recolha de imagem e diversa documentação considerada relevante para o processo.
Foram ainda identificadas 30 pessoas, entre as quais 18 mulheres, que se encontravam no estabelecimento, que foi encerrado à ordem do processo.