Trafaria festeja arte de Joana Vasconcelos

Trafaria festeja arte de Joana Vasconcelos

 

A população da Trafaria mobilizou-se no passeio ribeirinho da vila para festejar a passagem do cacilheiro “Trafaria Praia” e receber a artista plástica Joana Vasconcelos, que transformou esta embarcação numa obra de arte que vai representar Portugal na Bienal de Veneza. A mais importante feira de artes, que decorre entre 1 de Junho e 24 de Novembro.

O “Trafaria Praia”, que durante cerca de três décadas fez a travessia entre a Trafaria e Belém, foi salvo do abate por Joana Vasconcelos, que apostou na memória deste antigo cacilheiro para mostrar ao mundo a riqueza de algumas das tradições nacionais. O interior do barco foi vestido com cortiça, tecidos e rendas portuguesas, e o exterior será forrado com uma réplica do painel de azulejos de Gabriel del Barco que representa Lisboa no século XVIII.

“Como portuguesa e lisboeta, há sempre a diáspora da navegação. Esta é a minha navegação artística rumo à bienal de Veneza”, comentava Joana Vasconcelos que, a bordo do cacilheiro S. Paulus, via o “Trafaria Praia” de novo a navegar. “É um sonho realizado. Foi difícil ultrapassar algumas burocracias, mas conseguimos unir a boa vontade de ministérios e empresas privadas”. O que significa que “quando os portugueses têm vontade, conseguem”.

Para os trafarienses esta obra de arte assente no “Trafaria Praia” tem também um significado de luta. Numa altura em que a Trafaria está à beira de deixar de ser freguesia, “vê encerrar serviços e tem o seu futuro como local de turismo e de lazer ameaçado por um terminal de contentores, este projecto de Joana Vasconcelos representa também a identidade de uma população que não pode ser apagada”, comenta Francisca Parreira, presidente da Junta de Freguesia da Trafaria.

Por isso a autarca apelou à sensibilidade de Joana Vasconcelos em defesa da Trafaria, convidou-a a visitar a vila no dia da partida do “Trafaria Praia” para Veneza. Um convite que a artista aceitou, mais ainda quando diz estar “sentimentalmente” ligada a esta terra. “Para além de ver, de minha casa, o “Trafaria Praia” todos os dias a atravessar o Tejo, no início da minha carreira foi um trafariense que me ajudou nos meus projectos”, conta.

E, ao pisar o solo da Trafaria, Joana Vasconcelos teve oportunidade de rever Aníbal Silva, o trafariense que trabalhou ao seu lado no início da sua carreira artística. Foi ainda presenteada pelos alunos da escola EB1 de Costas de Cão com um quadro representando o “Trafaria Praia”.

E, da mesma forma que afirma que o projecto do “Trafaria Praia” vai “ficar para sempre ligado ao meu nome como obra de arte”, também comenta: “Acabar com a Trafaria, nem pensar”.

O “Trafaria Praia” deverá chegar a Veneza a 28 de Maio, altura que em será colocado o painel de azulejos. Depois da Bienal, Joana Vasconcelos pretende que o velho cacilheiro continue a fazer viagem itinerantes como obra de arte.

Quanto aos apoios financeiros, a artista plástica não revela números, mas adianta que foi apoiada pela Secretaria de Estado da Cultura naquilo que foi possível, mas “principalmente pelos privados, que se associaram ao projecto e tornaram-no possível”.