Trabalhadores despedidos da Siderurgia em tribunal no dia 31 de janeiro

Trabalhadores despedidos da Siderurgia em tribunal no dia 31 de janeiro
Os trabalhadores despedidos da Siderurgia Nacional Serviços, no Seixal, vão ver o processo, iniciado em 2001, chegar a julgamento no dia 31 de janeiro, tendo realizado hoje uma reunião de preparação.

Os trabalhadores realizaram hoje uma reunião no Clube de Pessoal da Siderurgia, onde fizeram um ponto de situação do processo que vai chegar a julgamento no dia 31 de janeiro, pelas 09:30, no Tribunal de Almada.
"Como no dia 31 de janeiro temos o julgamento, reunimos hoje para preparar e fazer um ponto de situação. Rescindimos os contratos em 2001 pois a empresa prometeu postos de trabalho. Íamos tirar cursos de formação e depois ser colocados nas empresas a criar ou criadas, mas isso não aconteceu e fizemos este processo", disse à Lusa Nuno Silva, um dos despedidos.
Nuno Silva referiu que foram despedidos da Siderurgia Nacional Serviços 200 trabalhadores, que assinaram em 2001 a rescisão dos seus contratos, no quadro do encerramento da atividade siderúrgica da empresa pública, com a promessa de ao fim de seis meses a um ano frequentarem cursos de formação profissional e serem integrados em novas empresas.
"Como a Siderurgia Serviços, responsável por nós, não cumpriu, nós achámos que tínhamos que continuar com este processo. Entraram para o processo mais de 100 trabalhadores, mas como alguns desistiram, devido às custas judiciais, penso que devem estar cerca de 100 no processo e estou convencido que vamos ganhar", referiu.
Nuno Silva disse ainda que o processo judicial tem sido conturbado e com algumas peripécias, chegando a tribunal quase 12 anos depois.
"Por duas vezes foi considerado fora de prazo em primeira instância pelo Tribunal de Almada, o que não percebemos. Recorremos depois para a Relação, que mandou o processo para primeira instância e vamos agora a julgamento", disse.