Trabalhadores da Transtejo e Soflusa falham acordo com administração

Trabalhadores da Transtejo e Soflusa falham acordo com administração
Os trabalhadores da Transtejo e da Soflusa, que fazem ligações fluviais no Tejo, e a administração das empresas não chegaram hoje a acordo para rever os salários, ficando eventuais novas negociações adiadas para quando houver novo Governo.
   
"A administração manifestou abertura para negociar numa primeira reunião, fizemos uma proposta, mas na reunião de hoje decidiu acabar com as negociações", disse à Lusa Carlos Costa, do Sindicato dos Transportes Fluviais Costeiros e Marina Mercante, afeto à Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (FECTRANS).
 
O responsável sindical referiu que ficou "desiludido" com o resultado da reunião entre as partes, explicando que esperava "outro desfecho".
 
"A administração da empresa disse que nos ia voltar a chamar nas próximas semanas, deu a ideia que estava à espera da definição do novo Governo. Nós vamos informar os trabalhadores e aguardar por esse encontro", salientou.
 
Os trabalhadores da Transtejo e Soflusa realizaram vários dias de greve parcial durante o mês de setembro, o que afetou as ligações entre as duas margens nas horas de ponta da manhã e tarde, exigindo uma revisão da massa salarial.
 
A Lusa contactou a administração da Transtejo e da Soflusa, mas não foi possível obter uma reação.