Tempestade provocou queda de árvores e estragos em Cascais

Tempestade provocou queda de árvores e estragos em Cascais

O mau tempo desta madrugada provocou a queda de centenas de árvores no concelho de Cascais, causando estragos em algumas viaturas e também danificou a cobertura das urgências do Hospital de Cascais, informou a Proteção Civil.

Em declarações à agência Lusa, o responsável da Proteção Civil de Cascais, Pedro Lopes de Mendonça, adiantou que foram registadas 120 ocorrências, a maioria das quais quedas de árvores e danificação de algumas viaturas, na zona da Parede.

No entanto, segundo contou, o caso mais grave ocorreu no serviço de urgências do Hospital de Cascais, com a danificação da cobertura.

"Uma parte da cobertura caiu em cima de duas ambulâncias do corpo dos Bombeiros de Carcavelos, provocando estragos nas viaturas, mas, felizmente, sem provocar feridos", contou Pedro Lopes de Mendonça.

Também o comandante da Proteção Civil de Oeiras, Filipe Palhau, adiantou que foram registadas 94 ocorrências.

"Muitas quedas de árvores, algumas estruturas publicitárias, postes de iluminação e sinais de trânsito, mas não houve qualquer ferido", afirmou o responsável.

Quer em Cascais, quer em Oeiras, nas zonas das praias, não foram registados danos graves provocados pela força do mar.

A Proteção Civil colocou na sexta-feira todo o Portugal Continental em alerta laranja até às 08:00 de hoje, devido à chuva, vento forte e agitação marítima.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou dez distritos de Portugal Continental em aviso vermelho devido à intensidade do vento e à forte agitação marítima.

A agitação marítima, o vento e a chuva forte diminuíram de intensidade hoje de manhã, mas prevê-se um novo agravamento do estado do tempo a partir das 00:00 de terça-feira