Táxis convocam marcha lenta em Lisboa para 29 de abril

Táxis convocam marcha lenta em Lisboa para 29 de abril

 As associações nacionais representativas dos taxistas convocaram para 29 de abril uma concentração, seguida de marcha lenta, em Lisboa, em protesto pelos problemas do setor relacionados com o transporte de doentes não urgentes.
Numa conferência de imprensa convocada em conjunto pela Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL) e da Federação Portuguesa do Táxi (FPT), ambas as associações reiteraram a sua insatisfação pela ação do Governo na alteração ao regime de contratação do serviço de doentes não urgentes.
Florêncio Almeida (ANTRAL) e Carlos Ramos (FPT) acusaram os Ministérios da Saúde e da Economia de transferirem o serviço para as corporações dos bombeiros, "mais caro para o Estado e para os utentes" e de deixarem os taxistas, sobretudo os do interior do país, em "grandes dificuldades", com alguns a terem de apresentar insolvência.
"Não conseguimos ainda quantificar quantos são, mas sabemos que há casos gravíssimos de empresários que estão em insolvência", disse Carlos Ramos, sublinhando que, em zonas do interior do país, o trabalho dos taxistas depende exclusivamente do transporte dos doentes não urgentes.
"Não podemos aceitar de forma alguma que isto passe de ânimo leve para os bombeiros. Mas os bombeiros são uma instituição de socorro ou servem para transportar pessoas?", questionou Florêncio Almeida.
O presidente da ANTRAL criticou ainda o facto de o transporte de crianças estar a ser assegurado pelos bombeiros, referindo que as justificações de que o serviço é mais barato e permite ao Estado poupar são uma "mentira".
"Nós levamos quatro pessoas no táxi e só cobramos por uma pessoa. O Governo está a desperdiçar dinheiro dos nossos impostos num serviço que é mais caro", sustentou.
Sem qualquer abertura de diálogo por parte do Governo, segundo os responsáveis, as associações reclamam a participação do setor nos concursos públicos para, asseguram, provar que "o transporte nos táxis tem mais condições e sai mais barato".
A isenção dos registos dos tempos de trabalho e de descanso e a manutenção da regulamentação do setor são outros dos assuntos que motivam o protesto.
Para o dia 29 de abril, às 10:00, está convocada a concentração de taxistas junto à parte norte da Expo, em Lisboa, esperando-se que, na marcha lenta, sigam cerca de quatro mil táxis em direção ao Ministério da Saúde.