Tapada de Mafra com visitas mais baratas

Tapada de Mafra com visitas mais baratas

A Tapada Nacional de Mafra apresentou novos pacotes de visita mais económicos para fazer face à crise e ao aumento do IVA, que têm reduzido o número de visitantes.
"A crise e o aumento do IVA de seis para 23 por cento têm provocado uma diminuição da procura, por isso a Tapada está a implementar uma nova estratégia para atrair mais visitantes e, assim, manter as suas receitas", afirmou Ricardo Paiva, diretor do espaço.
O responsável explicou que a Tapada decidiu reestruturar os pacotes de visitas e respetivos preços, no sentido de os tornar mais convidativos aos visitantes em tempo de crise. As visitas ao espaço baixaram entre 10 e 15 por cento.
Além da visita completa de comboio, com duração de duas horas e meia e a custa 12,5 euros para adultos, a Tapada decidiu criar percursos mais pequenos, um de uma hora e outro de 45 minutos, que custam respetivamente 8,5 ou 6,5 euros. Os três incluem sessões de falcoaria.
Os percursos pedestres foram diversificados e mantiveram os preços, mas passaram a incluir também sessões de falcoaria. Os preços são de seis euros, mas foi criado o bilhete para crianças de quatro euros.
A Tapada criou também pacotes para famílias, a preços mais económicos. Mesmo com o aumento do IVA, o circuito completo de comboio para dois adultos e duas crianças passou de 30 para 35 euros, ou seja, o aumento do Iva não está a ser de todo refletivo no bilhete cobrado aos visitantes.
Com o intuito de atrair visitantes, a Tapada decidiu abrir os seus portões, permitindo que os cidadãos aí entrem para tomar uma bebida ou fazer um simples piquenique no novo parque de merendas, sem precisarem de pagar bilhete.
De igual modo, foram criadas novas atividades, desde voltas com burros, passeios em charrete ou iniciação ao tiro ao arco, alguns dos quais estão incluídos em pacotes de atividades que, por sua vez, podem ser adquiridos a preços mais económicos. Andar de comboio e de burro e ver uma sessão de falcoaria pode custar 11 euros a uma criança ou 42 euros a uma família, composta por quatro pessoas.
Os preços para as escolas também tiveram cortes. Em 2011, a Tapada atraiu 50 mil visitantes, tendo obtido entre 500 e 600 mil euros de receitas.