Skate Parque da Amadora muda de sítio

Skate Parque da Amadora muda de sítio

Queixas de moradores levam à desmontagem de estrutura instalada junto à pista de esqui.
O Skate Parque, instalado junto à pista de esqui situada no alto da Damaia, está descoberto e já começou a ser desmontado para que possa ser transferido para outro local. O ruído provocado pela passagem das rodas pela estrutura de madeira motivou queixas dos moradores dos prédios vizinhos. Como solução, a autarquia vai preparar um novo terreno, também dentro do parque, para receber o equipamento muito procurado pelos jovens.
Desde Setembro que o Radical Skate Clube, associação que gere o Ski Skate Amadora Parque, foi obrigado a remover a cobertura daquele que é o maior parque coberto da Europa e que atrai ao longo de toda a semana centenas de jovens e crianças que procuram aperfeiçoar as técnicas da modalidade.
A nova localização daquela estrutura será dentro dos limites do parque, mas ficará do lado oposto aos prédios de habitação, de forma a resolver os problemas de ruído que já tinham levado o Radical Skate Clube a retirar, em Setembro de 2012, a cobertura e a reduzir o horário de funcionamento daquela pista.
A transferência só será possível após a autarquia terminar as obras de alisamento do terreno. “Estamos a aguardar o início das obras que já deveriam ter terminado há muito tempo. Mas este processo teve contratempos e agora aguardamos que a autarquia comece as obras em Março”, esclareceu Paulo Pereira, presidente do Radical Skate Clube.
Após a retirada da cobertura, o Skate Parque tem perdido alguns praticantes que, devido às condições atmosféricas, acabam por voltar para casa. “Com chuva, muitos jovens que nos procuram, provenientes de locais como Almada, Odivelas, Loures ou Montijo, acabam por ir embora e dificilmente regressam sem a certeza de que podem praticar a modalidade”, refere o responsável.
Há três anos, a associação começou a gerir um dos mais emblemáticos parques da cidade da Amadora, com uma pista de esqui e um recinto para skate. No entanto, os moradores dos prédios vizinhos têm vindo a apresentar queixas constantes sobre o ruído provocado pela passagem dos skates na estrutura de madeira.