Sintra reforça bem-estar animal

Sintra reforça bem-estar animal

Após um investimento de um milhão e meio de euros, as novas instalações do Canil Municipal de Sintra foram, finalmente, inauguradas. Dois anos mais tarde do que chegou a ser anunciado, os animais à guarda do município passam a dispor de condições de bem-estar no novo Gabinete Médico Veterinário Municipal de Sintra. O equipamento foi inaugurado no Dia do Município, na passada sexta-feira.
O novo Canil Municipal ocupa uma área de oito mil metros quadrados, dividido por áreas médica/administrativa e serviços, sequestro e quarentena, triagem, alojamento para cães (adopção) e gatil. As novas instalações dispõem, ainda, de uma zona reservada para animais de grande porte, como cavalos e ovinos errantes na via pública.
O projecto foi idealizado para dar resposta às necessidades do concelho, podendo receber mensalmente cerca de 25o animais abandonados ou vítimas de maus-tratos. Para trás fica o antigo canil que constituía "um espaço único, com os animais confinados a pequenas boxes, com todos os problemas que daí resultavam, nomeadamente a transmissão de doenças infecto-contagiosas, aumento da agressividade entre animais e falta de condições de internamento", como alertava ao JR, já em 2009, a médica veterinária municipal, Alexandra Pereira.
Nas instalações agora inauguradas, a zona médica está dotada de uma sala de cirurgia, diversos consultórios e sala de raio-X, para atendimento dos animais ali instalados. O espaço de sequestro e quarentena está dotado de 48 boxes individuais, onde os animais ficam oito dias, "para se perceber se desenvolvem alguma doença infecto-contagiosa ou se são reclamados pelos proprietários". Após o período de quarentena, os animais serão encaminhados para a ala de adopção que dispõe de uma zona coberta para pernoita e pátios exteriores, num total de mais de 48 boxes.
A construção do novo canil, situado paredes-meias com as antigas instalações, junto à Polícia Municipal de Sintra, "significa um dos principais investimentos públicos de canis municipais no país, sendo uma obra emblemática para o concelho e para o país, principalmente num tempo em que sentimos que há cada vez mais animais abandonados", frisou Fernando Seara. O edil frisou, aliás, que até os tribunais estão a solicitar cada vez mais que o Canil Municipal proceda à recolha de animais, no âmbito de acções de despejo. "São os sinais da crise...", frisou o presidente da Câmara.
"Há muitas situações de abandonos de animais e estamos constantemente a ser requisitados, por parte do tribunal, para irmos buscar animais a apartamentos e mesmo a quintas", acentua Ana Duarte, vereadora responsável pelo Gabinete Médico Veterinário Municipal, que, para esta semana, já tem uma notificação para a recolha de cerca de 50 cães numa quinta. "De um dia para o outro, temos de ter espaço para todas estas solicitações", adverte a autarca.