Sintra recebe folclore do Emirados Árabes Unidos

Sintra recebe folclore do Emirados Árabes Unidos

No âmbito da visita a Portugal do Sheikh Sultan Bin Mohammed Al Qasimi, dos Emirados Árabes Unidos, a Câmara de Sintra e a Embaixada dos Emirados apresenta uma atuação do Grupo Folclórico do Emirado de Sharjah, a 2 de outubro. A atuação será às 18H00, nas arcadas do Palácio da Vila, no Largo Rainha D. Amélia.

O grupo nacional de artes populares dos Emirados tenciona apresentar as suas mais importantes danças populares: a Arte da Ayala Al Bahria (Mar); a Arte da Ayala Baria (Terra); a Arte da Razfa (a Arte da Guerra); a Arte da Liwa; a Arte da Hiban; a Arte da Midimae; a Arte de Rawah; a Arte de Ramssa; a Arte de Tanboura; e a Arte da Al Ahala.

Nos Emirados Árabes Unidos, o Grupo Nacional das Artes Populares é considerado um dos mais importantes grupos de artes populares. A sua existência data de 1987, por decreto do Conselho de Ministros.
Quando o grupo foi criado contou imediatamente com o apoio de vários especialistas em artes populares, nas áreas da dança e da música, bem como com um grande número de jovens dos Emirados, amadores da dança popular tradicional.
O objetivo da criação deste grupo era enraizar todas as danças populares e apresentá-las de forma artística e dançante, com as suas coreografias diferentes em cima do palco,
as suas formas gestuais, os seus trajes e acessórios, que emanam da sua natureza de origem. E tudo o que tem que ver com tradições e costumes, através do uso de um método científico com projecção no palco teatral depois da sua adaptação. O grupo folclórico emiradense conta actualmente com a experiência dos Emirados nas áreas da moda e da música, agrupa 40 dançarinos, e as suas danças representam todas as culturas.
Das cidades costeiras vieram as danças que representam a vida dos pescadores, por exemplo, a dança Lahdouda e a dança Al Behara (Os Pescadores). Este grupo teve um grande sucesso quando entrou numa peça teatral representando o dia-a-dia dos pescadores, no momento em que entram no mar e as suas celebrações num dia de trabalho em que conseguem uma boa pesca.
Esta dança do grupo nacional das artes populares é inspirada numa peça sobre a vida dos agricultores que consegue transmitir os seus trabalhos no campo, uma peça que ficou conhecida por Alizwa. O mesmo grupo apresentou outra peça inspirada nas montanhas e na sua natureza que reflectiu a vida das pessoas que ali vivem e o ambiente que caracteriza o seu dia-a-dia, chama-se Acharkia. O grupo apresentou ainda uma breve visão sobre a arte dos sons, Kaliji, uma dança gestual e foi representada numa forma teatral e que mistura a música e a coreografia. O resultado foi uma peça muito expressiva, utilizada de uma forma teatral e representativa.