Sintra inaugura Museu de Arte no antigo Casino

Sintra inaugura Museu de Arte no antigo Casino

A Câmara de Sintra inaugura no sábado o MU.SA - Museu de Arte de Sintra, nas instalações do antigo Casino, na Estefânia, onde antes foi exibida a colecção de arte moderna de José Berardo.

Segundo a autarquia, o novo museu de arte vai expor "um alargado espólio de obras" de Columbano Bordalo Pinheiro, Alfredo Keil, João Cristino da Silva, António Carneiro, Colebrooke Stockdale, A. E. Hoffmann, José d´Ávila, Bernardo Marques, António Duarte, António Viana, Diogo de Macedo, Real Bordalo, João Reis, Leal da Câmara, Pedro Anjos Teixeira, Mily Possoz, Vitor Pi ou de Júlio Pomar.

As obras fazem parte de espólios propriedade do município, nomeadamente de Dórita Castel-Branco e de Emílio Paula Campos, "doações consideradas das mais importantes em termos artísticos e de valor patrimonial", que há muito aguardavam por um espaço para a sua exposição pública.

O antigo Casino de Sintra, inaugurado em 1924, foi projectado pelo arquitecto Norte Júnior e funcionou como escola e serviços de finanças. O espaço reabriu a 17 de maio de 1997 como Centro de Arte Moderna para acolher parte da colecção Berardo. "No MU.SA (MU de museu, S de Sintra e A de arte) encontraremos doravante um espaço com programação polivalente e plural, obras de arte com temas e técnicas diferenciadas de autores de várias gerações e trabalhos de artistas marcantes no panorama concelhio", esclarece o presidente da câmara, Basílio Horta (PS), na apresentação do novo espaço na agenda cultural.

Além de obras pictóricas do movimento romântico do século XIX, será também exposta pintura e escultura da Colecção Municipal de Arte Contemporânea, produzida em meados do século XX por artistas portugueses e estrangeiros residentes em Portugal.

O novo espaço museológico, situado junto ao Centro Cultural Olga Cadaval, terá uma área dedicada à fotografia, nas vertentes da representação paisagística e da estética conceptual.

Uma galeria municipal apresentará exposições temporárias, enquanto o Lab. Arte pretende funcionar como espaço alternativo e "laboratório de experimentações". No átrio de entrada será criada uma livraria municipal.

Para o presidente da autarquia, a Estefânia, no centro de Sintra, terá para oferecer à população e visitantes "uma viagem para os sentidos e um polo dinamizador da actividade e economia criativas".