Sintra aprova fusão de empresas municipais sob protesto dos trabalhadores

Sintra aprova fusão de empresas municipais sob protesto dos trabalhadores
O executivo municipal da câmara de Sintra aprovou hoje a fusão de empresas municipais durante uma reunião muito conturbada pela presença de 300 trabalhadores, que interromperam por diversas vezes a ordem de trabalhos.
Cerca das 11:10, os trabalhadores ainda marcavam presença na reunião, afirmando-se preocupados com os seus postos de trabalho.
Duas horas após o início da reunião, os trabalhadores entoaram a canção popularizada por Zeca Afonso “Grândola Vila Morena” e gritaram várias vezes “não votam” dirigindo-se aos vereadores.
No meio da confusão, o executivo da maioria que governa a câmara (CDS e PSD) aprovou uma proposta que prevê a fusão de três empresas municipais e o contrato de cedência dos serviços dos SMAS. PS e CDU votaram contra.
No entanto, o presidente da câmara, Fernando Seara, procurou dialogar com os trabalhadores e prometeu reunir-se com os vereadores da CDU na quinta-feira para discutir a proposta apresentada por essa coligação de esquerda.
Fernando Seara afirmou que a proposta aprovada hoje tem como objetivo salvaguardar todos os 1.290 postos de trabalho dessas empresas.
A fusão de empresas foi aprovada ao abrigo da nova lei do setor empresarial local e com base num estudo encomendado a uma  empresa de consultadoria para a criação da Sintra Património Mundial - Sociedade de Gestão e Reabilitação Urbana.