Sintra: Capela de São Lázaro aberta ao público

Sintra: Capela de São Lázaro aberta ao público

Iniciativa da Junta de São Pedro de Penaferrim, movimento cívico e colectivo artístico.
A Capela de São Lázaro, em São Pedro de Sintra, vai passar a estar aberta ao público, de forma regular, para permitir conhecer "um dos últimos tesouros de Sintra Património Mundial a descobrir". Para assinalar a abertura regular, que será complementada por eventos culturais, teve lugar, no passado sábado, uma festa informal, promovida pela Junta de Freguesia de São Pedro de Penaferrim, Movimento Cívico de Defesa e Divulgação do Largo e da Capela de São Lázaro e Colectivo Artístico "E Agora São Pedro?".
Aos gritos de "queremos a Capela aberta", um grupo de ‘saloios’ dava o mote para o tão aguardado momento de abertura das portas do monumento manuelino, classificado como Imóvel de Interesse Público desde 1933, cujo largo tem sido o centro de uma contenda judicial que envolve dois particulares e, numa outra acção sobre a propriedade da capela, o próprio Estado. Enquanto se aguarda que seja proferida sentença sobre a propriedade do largo, reclamada por um dos moradores, que chegou a impedir o acesso através da colocação de um portão, a Junta de Freguesia de São Pedro de Penaferrim decidiu promover a reabertura da capela de forma regular, por deferência da Santa Casa da Misericórdia de Sintra que detém a gestão do imóvel. "Esta capela é do povo, tem muito significado para a nossa comunidade e, por isso, nunca na vida poderá passar para um particular", acentua Fernando Cunha, presidente da Junta de Freguesia, apostado em colocar a Capela de São Lázaro nos roteiros turísticos de Sintra Património Mundial. O primeiro contributo vai ser dado com a deslocação dos veículos turísticos Tuk Tuk à Rua Serpa Pinto para divulgar um monumento (finais do século XV) que integrava um antigo conjunto hospitalar, uma Gafaria, dedicada ao tratamento de leprosos. "Vamos reunir as condições para que esta capela, modesta e humilde, que diz muito a São Pedro, esteja aberta a toda a comunidade local", salientou o autarca, que se congratula com a constituição de um movimento cívico em defesa da Capela de São Lázaro.
Maria Helena Nunes, do movimento cívico, adiantou ao JR que "a capela vai estar aberta ao público, em horário a definir, em princípio das 9h00 às 17h00". Após a constituição do movimento em Setembro último, no sentido de travar "um atentado grave que está em marcha e que ameaça a ‘privatização’ de um espaço público", as diligências passam agora pela recolha de assinaturas para uma petição à Assembleia da República, "para pedir que seja legislado alguma coisa relativamente ao espaço de acesso à Capela de São Lázaro". Um monumento que, até para muitos nascidos e criados na Vila de Sintra, é completamente desconhecido.
A dinamização cultural do monumento vai ser assumida pelo Colectivo Artístico "E Agora São Pedro?", que reúne um conjunto de grupos culturais, que pretendem "recuperar as memórias culturais de São Pedro de Penaferrim". Segundo Nuno Vicente, a Capela de São Lázaro é um dos expoentes das memórias de São Pedro, "um dos mais importantes conjuntos manuelinos de Sintra, uma encomenda régia da Rainha D. Leonor, fundadora das Misericórdias, e que é um dos últimos tesouros de Sintra Património Mundial a descobrir". Até ao final do ano, estão programadas várias actividades, como fado à capela, leitura de poesias, tertúlias e exposições, que vão dar forma ao denominado Espaço Gafaria-Capela de São Lázaro. "Uma pequena gota d’água para que estas portas de São Lázaro não se fechem nunca mais", concluiu Nuno Vicente.