Sindicatos alertam para problemas na circulação de comboios devido à greve de quinta-feira

Sindicatos alertam para problemas na circulação de comboios devido à greve de quinta-feira

A Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans) antecipa para quinta-feira "fortes perturbações" na circulação de comboios "em todo o país", devido à greve na CP, mas a empresa afirma-se "empenhada" em realizar "todos os comboios que for possível".

"É sempre uma incógnita mas, por aquilo que nos chega, esperamos que vá haver fortes perturbações na circulação em todo o país", afirmou José Manuel Oliveira, da Fectrans, em declarações à agência Lusa.

Recordando não terem sido decretados serviços mínimos pelo Tribunal Arbitral nomeado pelo Conselho Económico e Social (CES), o sindicalista corroborou que, "numa greve de 24 horas, não estão postas em causas necessidades sociais impreteríveis".

Apesar de o Sindicato dos Maquinistas (SMAQ) não ter aderido ao protesto, José Manuel Oliveira salienta que "todos os trabalhadores [da CP - Comboios de Portugal e da CP Carga] estão abrangidos pelo pré-aviso de greve" e afirma-se convicto que "há muitos que vão aderir, independentemente dessa posição".

"E admito que, ao longo do dia, esse sindicato [SMAQ] ainda possa vir a ter alguma posição de apoio ou de liberdade para que os seus associados possam vir a aderir", acrescentou.

A agência Lusa tentou obter uma posição do SMAQ, mas tal não foi possível até ao momento.

Numa informação disponível desde o início da semana na sua página na Internet, a CP previa para hoje, dia de greve na Rede Ferroviária Nacional (Refer), "fortes perturbações e supressões" de comboios em todos os seus serviços, mas, para o protesto de quinta-feira, antecipa apenas "ligeiras perturbações nos serviços urbanos, regional e inter-regional".

Contactada pela Lusa, a porta-voz da transportadora ferroviária, Ana Portela, afirmou que "a CP está empenhada em realizar todos os comboios que for possível a nível nacional, com os trabalhadores que estiverem disponíveis para esse efeito".

Relativamente ao protesto de quinta-feira, que durará entre as 00:00 e as 24:00, o dirigente da Fectrans esclareceu ainda que, "ao início da greve, os comboios que estão em circulação chegam a destino" e, na área das mercadorias, "se estiverem programados, [serão assegurados] alguns comboios de 'jet fuel', mercadorias perigosas e um comboio que vem de Espanha com matérias perigosas".

A greve na CP e CP Carga insere-se na quinzena de luta que os trabalhadores dos transportes e comunicações iniciaram a 25 de Outubro e que termina no sábado com uma manifestação nacional, em Lisboa.

Também na quinta-feira, fazem greve os trabalhadores da transportadora rodoviária Carris, que vão parar durante seis horas, entre as 09:30 e as 15:30, e os da Sociedade de Transportes Colectivos do Porto (STCP), entre as 08:00 e as 16:00.

Em causa está a proposta de Orçamento do Estado (OE) para 2014, que prevê reduções salariais, concessão das empresas públicas de transporte a privados e a redução das indemnizações compensatórias, entre outras medidas.