SIC Radical, 15 anos a 'virar frangos', comemorados com um 'assado'

SIC Radical, 15 anos a 'virar frangos', comemorados com um 'assado'
O humor e a irreverência, a música o desporto e o cinema, mas também o erotismo ou as séries de ficção, tudo a pensar nos jovens, marcam os 15 anos da SIC Radical, assinalados na sexta-feira com um "assado".
 
A "aventura" radical começou a 23 de abril de 2001, mas a estação faz o "assado" a 13 de maio e diz que é a primeira vez que uma marca se sujeita a tal. O "Roast" (assado) é, explica o canal, um evento de comédia, muito comum, por exemplo, nos Estados Unidos.
 
Será assim na sexta-feira, em Lisboa, com a SIC Radical a ser homenageada de forma bem-humorada, sendo alvo de "piadas, insultos e elogios", vindos de si mesma, que se diz há "15 anos a virar frangos", e dirigidos por um conjunto de pessoas ligadas ao humor. No caso, será um grupo "comandado" pelo humorista Rui Sinel de Cordes.
 
Mas sério foi o percurso do canal, nas palavras dos responsáveis do grupo Impresa (a que pertence a SIC), "um espaço único no panorama audiovisual português" e "uma das maiores fábricas de talentos já feita em Portugal".
 
Na sua página na internet, o grupo cita nomes que nasceram na Radical como Rui Unas, Fernando Alvim, Gato Fedorento ou Homens da Luta, Bruno Nogueira ou João Manzarra, e acrescenta: "A SIC Radical tem sido o canal de não notícias preferido dos homens jovens portugueses e teve momentos marcantes como o apoio aos festivais (musicais) de verão".
 
Depois da estreia do canal SIC, em outubro de 1992, na sequência da possibilidade da criação de canais privados, a SIC Radical é o terceiro canal temático da estação a abrir e foi "desenvolvido especialmente para o cabo", para um público-alvo, os adolescentes e os adultos jovens.
 
Já dizia assim o pedido feito na altura à Alta Autoridade para a Comunicação Social (hoje Entidade Reguladora): público jovem e programação "variada e composta essencialmente por séries nacionais e estrangeiras, filmes e programas de divulgação, educacionais e informativos", com "uma identificação muito própria, ocupada, dinâmica e participativa".
 
Agora com 15 anos, quando os festejos se "querem mais arrojados", arrisca, "sem medos", sujeitar-se a um "Roast", numa noite "sem regras" e "sem limites" no Cinema S. Jorge, em Lisboa. Afinal já "são 15 anos a 'virar frangos'".