Sete portugueses na terceira ronda do Sintra Portugal Pro de bodyboard

Sete portugueses na terceira ronda do Sintra Portugal Pro de bodyboard

Sete portugueses garantiram a presença na terceira ronda do Sintra Portugal Pro, prova do Circuito Mundial IBA de bodyboard, que está a decorrer na Praia Grande, em Sintra.

Jamie Jesus, o melhor luso, com um total de 12,85 pontos, Rodrigo Rijo, Silvano Lourenço, Mauro Bandeiras, Pedro Correia, Dino Carmo, António Cardoso e Miguel Adão ultrapassaram hoje as duas primeiras rondas, com Filipe "Cabrela" Raposo, João Barciela, Miguel Graça e Sérgio Rego a serem eliminados.

Na terceira ronda, com início marcado para as 8:30, a estes oito atletas lusos vão juntar-se mais três, que tiveram entrada direta nesta fase, sendo que Rui Pereira apenas entrará em ação na quarta ronda.

 

"É com grande prazer que a Câmara Municipal de Sintra apoia este evento que mostra a diversidade de oferta turística deste concelho e esperamos, apesar de todas as dificuldades financeiras, poder continuar a promover este evento", afirmou o representante da autarquia, o vereador Lino Ramos, que apesar de estar a chegar ao final do seu mandato prometeu estar em futuras edições do Sintra Portugal Pro "como adepto do desporto".

O presidente da FPS, João Aranha, sublinhou igualmente o papel decisivo da autarquia na realização deste evento que marca a agenda desportiva do Verão há quase duas décadas:

"A FPS agradece à Câmara Municipal de Sintra, o principal sponsor do Sintra Portugal Pro. De facto, sem o apoio da autarquia seria virtualmente impossível realizar este grande evento. Resta-me desejar boa sorte a todos os competidores e esperar que a vitória sorria aosportugueses."

Catarina Sousa, campeã nacional e única portuguesa a ganhar a competição feminina na etapa mundial da Praia Grande, recordou que o Sintra Portugal Pro foi a sua primeira competição internacional:

 "Foi em Sintra que comecei a competir em Mundiais e foi na Praia Grande que consegui a minha, até hoje, única vitória num Mundial, por isso, ficará sempre gravada no meu coração."

 Curiosamente, também Pierre Louis Costes teve no Sintra Portugal Pro a sua estreia internacional:

"Foi aqui que competi no meu primeiro Mundial, quando tinha 13 anos, por isso ter vencido aqui o ano passado foi muito especial."

"PLC" está ainda a recuperar de uma lesão (costelas partidas) sofrida no Taiti o mês passado, quando embateu com violência num recife e ainda está em dúvida para defender o título:

"Estou a recuperar depressa e ainda tenho esperança de poder surfar no Sintra Portugal Pro, mas ainda não posso garantir nada..."

 Rui Pereira, actual 10º classificado do GQS, joga uma cartada importante na luta pelo acesso ao Grand Slam Series, a "Fórmula 1" do bodyboard, onde apenas 24 privilegiados têm lugar garantido e onde nenhum português figura este ano.

 

"O Sintra Portugal Pro pode ter peso na minha qualificação, mas também pode ter para putros atletas. É uma prova muito imprevisível em que surgem muitas surpresas e alguns vencedores inesperados ao longo destes anos que já leva de história. Vou fazer o meu melhor para tentar pontuar o máximo. Só posso prometer isso."

Hugo Pinheiro, que a par de Manuel Centeno, detém o melhor ranking de sempre num Mundial (6º lugar), nunca conseguiu chegar a uma final do Sintra Portugal Pro. Algo que diz "não pesar", mas que quer tentar ultrapassar:

 "O meu melhor resultado foi um quinto lugar, em 2009, e a verdade é que já consegui várias finais e resultados de relevo noutros campeonatos no estrangeiro e nunca cheguei a uma final em Sintra. Sinto-me realizado com a minha carreira mas gostava de conseguir um resultado bonito na única etapa do Mundial em Portugal."