Sérgio Godinho e Jorge Palma, escritores de canções, lado a lado em palco

Sérgio Godinho e Jorge Palma, escritores de canções, lado a lado em palco
Dizem ser leais amigos há quarenta anos, com universos musicais compatíveis, mas só agora é que Sérgio Godinho e Jorge Palma decidiram fazer um espetáculo juntos. Os três primeiros concertos, a partir de hoje, em Sintra, estão esgotados.
 
Sérgio Godinho, 69 anos, e Jorge Palma, 64 anos, já cumpriram quarenta anos de carreira, têm pontos de contacto no percurso musical e de vida e já compuseram mais de 300 canções, de entre as quais escolheram quase trinta para este espetáculo inédito.
 
"Era um projeto que vinha sendo adiado e desejado por nós os dois", disse Sérgio Godinho em entrevista à agência Lusa, ao lado de Jorge Palma, que recordou que os encontros musicais entre ambos foram acontecendo de forma esporádica em longo das últimas décadas, em palco e em disco, mas nunca num concerto destes.
 
Têm cinco anos de diferença, mas uma história pessoal com pontos em comum. Ambos se exilaram, por oposição ao regime ditatorial, editaram os primeiros álbuns nos anos 1970 e são considerados artistas influentes de outras gerações de músicos.
Sérgio Godinho recorda-se de ter participado na gravação do tema "Na terra dos sonhos", de Jorge Palma, em finais dos anos 1970. A lembrança de Jorge Palma é anterior.
 
"Tenho memórias das canções dele antes do 25 de abril [de 1974]. Cantei uma música do Sérgio na Dinamarca, tive um convite para ir a uma rádio e cantei 'Pode alguem ser quem nao é', de um compositor português que não conhecia", recorda Palma.
 
Os músicos reavivam memórias, mas não querem que o espetáculo seja visto como uma coisa saudosista dos êxitos de ambos. "Não temos nada esse espírito e os músicos que nos acompanham são estimulantes. Desfazer preconceitos é uma coisa valiosa", disse Sérgio Godinho.
 
Jorge Palma e Sérgio Godinho vão intrometer-se nas músicas um do outro, para que as canções sejam levadas por outros caminhos e possam surpreender o público. Juntos também cantarão um tema de Paul Simon.
 
Haverá ainda um tema inédito, "Caso fora esse caso", que Sérgio Godinho escreveu a pensar neste encontro em palco: "Foi uma canção que fiz inspirada num conceito base do nosso encontro que é o conceito de errância da vida que nós tivemos, vagabundas, vivenciais e que nunca deixámos de ter".
 
À medida que vão falando, nota-se uma cumplicidade fraterna, interrompem-se para falar de lealdade e honestidade. E Jorge Palma reconhece que este espetáculo não poderia ter acontecido antes por causa do "excesso de álcool".
 
"Decidi, é importante que se saiba, dar um exemplo de uma pessoa que ao fim de não sei quanto tempo tenha um momento de lucidez", afirmou.
 
Com Jorge Palma e Sérgio Godinho, em palco estarão Nuno Rafael, Sérgio Nascimento, João Cardoso, Pedro Vidal, Nuno Lucas e João Correia.
 
Depois de Sintra, os músicos atuarão em julho ao festival Super Bock Super Rock, em Lisboa.
 
Haverá mais concertos, ainda não anunciados, e possivelmente um disco de ambos.