Serão de 'Exotismos' no Salão Nobre do Palácio da Pena

Serão de 'Exotismos' no Salão Nobre do Palácio da Pena
Tem lugar, a 10 de janeiro, o segundo evento do ciclo “Serões Musicais no Palácio da Pena”, intitulado “Exotismos”, que conta com um concerto que junta a soprano Dora Rodrigues, o tenor Mário Alves, o barítono Luís Rodrigues e o pianista João Paulo Santos especialmente para a ocasião.
 
O concerto, com início às 21h30, será precedido de uma conferência, apresentada pela musicóloga Luísa Cymbron, às 21h00. Tanto a conferência como o concerto terão lugar no Salão Nobre do Palácio Nacional da Pena, restaurado há um ano.
 
Apresentado pela Parques de Sintra e Divino Sospiro - Centro de Estudos Musicais Setecentistas de Portugal (DS-CEMSP), o ciclo decorre até 14 de fevereiro e é composto por serões que incluem um concerto e uma conferência. Pretende evocar – através da música – questões, imagens e figuras ligadas aos ambientes de Sintra, e em particular da Pena, no século XIX. Além do amor à Natureza (um dos grandes tópicos do imaginário romântico, com uma afirmação transversal às várias artes) e do interesse pelo exotismo, sobretudo a nível arquitetónico, outra grande paixão de D. Fernando II foi a música, como fica claro tanto através de muitos testemunhos contemporâneos, como do inventário do seu vasto espólio musical.
O programa da noite inclui obras de Ferdinand David, Camille Saint-Säens, Georges Bizet, Carl Loewe, Francisco de Sá Noronha, Miguel Ângelo Pereira, Alfredo Keil, Francisco Xavier Migonne e Jules Massenet.
 
Este concerto conta com quatro grandes nomes nacionais: a soprano Dora Rodrigues, que canta regularmente em produções de ópera portuguesas, tais como as apresentadas no Teatro Nacional de São Carlos, as produções da Companhia de Ópera do Porto e o Teatro Nacional São João; o tenor Mário Alves, convidado regular do Teatro Nacional de São Carlos, e que colabora com a Fundação Gulbenkian, Casa da Música, Orquestra do Norte, Orquestra Metropolitana, Ópera Norte e com a generalidade das orquestras e instituições nacionais em concerto, ópera e recital; o barítono Luís Rodrigues que, interpretando Música de Câmara, tem vindo a colaborar com os pianistas David Santos, Nuno Vieira de Almeida, Jaime Mota e João Paulo Santos e com agrupamentos como o Drumming e o Remix Ensemble; e o pianista e maestro João Paulo Santos, atual Diretor de Estudos Musicais e Diretor Musical de Cena do Teatro Nacional de São Carlos e uma das principais figuras do panorama musical em Portugal.
 
Um dos elementos identificadores da paisagem de Sintra e da Pena é a diversidade arquitetónica (do neomanuelino ao neoárabe), que nos permite uma viagem através do fascínio oitocentista pelos vários tipos de exotismo. Na música, esta tendência atingiu uma particular expressão em França, centrando-se inicialmente no interesse pelo Norte de África, mas abrangendo depois outras zonas mais remotas do globo. E é em boa parte por influência francesa que a encontramos nos compositores portugueses da segunda metade do século XIX, como Francisco Xavier Migonne, Francisco de Sá Noronha, Miguel Ângelo Pereira ou Alfredo Keil.
 
O ciclo “Serões Musicais no Palácio da Pena” é cofinanciado pelo POR Lisboa – Programa Operacional Regional, conta também com o apoio da Direção-Geral das Artes, e com a Antena 2 como media partner.