Sem dúvida, o melhor dos Civic

Sem dúvida, o melhor dos Civic

Enquanto não surge o bloco 1.6, opção pelo motor 2.2 i-DTEC é de ter em conta

Previsto para Janeiro, o lançamento do novo motor de 1600 cm3 poderá reposicionar a valia comercial do novo Honda Civic entre as ofertas Diesel do segmento C. Porém, enquanto tal não acontece, a opção pela motorização de quatro cilindros 2.2 i-DTEC, de 150 cv, revela-se como escolha bastante acertada, até porque a marca fez um esforço adicional para apresentar um preço deveras competitivo: 28 600 euros.
Claro que há propostas concorrentes mais acessíveis, mas nenhuma com um motor deste calibre, que assenta bem, mesmo muito bem, no renovado Civic.
Diríamos que este é mesmo o melhor Civic entre a actual gama de propostas disponibilizadas pela marca e que inclui o acessível 1.4 de 100 cavalos (20 000 euros) e o desportivo 1.8 com 100 cavalos (24 700 euros), ambos a gasolina.
Ora, sabendo da apetência do nosso mercado para as motorizações Diesel, comparando prestações e consumos, não é difícil perceber por que razão elegemos este como o melhor dos Civic. É que, para além do preço promocional, há outros números que fazem a diferença na hora da escolha e que justificam o prazer que podemos sentir ao volante deste modelo: velocidade máxima de 217 km/h, 8,7 segundos dos zero aos 100, binário de 350 Nm, consumo anunciado de 4,4 l/100 km (5,9 no teste efectuado pelo JR).
Para além disso, o Civic oferece excelente nível de equipamento (já habitual na marca), o comportamento em estrada e o conforto são irrepreensíveis e o espaço a bordo só peca em termos de altura nos lugares traseiros.
As linhas futuristas, por fora e no interior, já são conhecidas e tornam este num carro realmente diferente.
Paulo Parracho