Seixal reclama construção urgente de esquadra para a PSP

Seixal reclama construção urgente de esquadra para a PSP
A Câmara do Seixal defendeu hoje a necessidade urgente de se construir a esquadra da Divisão da Polícia de Segurança Pública (PSP) no concelho, salientando que já foi cedido um terreno.
 
"Cedemos um terreno com 3.150 metros quadrados para a instalação deste equipamento, existindo um protocolo assinado em 2009 com o Governo de então, para a sua concretização, mas até ao momento nada sucedeu", afirmou o presidente da autarquia, Joaquim Santos (PCP).
 
O autarca - que esteve hoje junto ao terreno cedido para as instalações, situado na Quinta do Cabral, Arrentela - defendeu que o novo edifício iria permitir melhores condições de trabalho aos agentes, que trabalham em "condições precárias, distribuídos por edifícios da câmara municipal adaptados para o efeito".
 
"A construção desta nova divisão policial permitiria que se juntasse num único espaço várias esquadras, que estão espalhadas pelo concelho, aumentando assim os recursos e os meios de patrulha", afirmou.
 
Joaquim Santos referiu que têm sido efetuados vários contactos com o Ministério da Administração Interna, sempre sem resposta.
 
"No último contacto fomos informados de que a situação estaria a ser avaliada e soubemos esta semana que o Ministério da Administração Interna anunciou um conjunto de prioridades de investimento para o distrito de Setúbal, em que se inclui também esta divisão policial como uma terceira prioridade", frisou.
 
O autarca admite que existam outros concelhos no país com necessidades, mas salientou que o Seixal "não tem uma divisão policial construída de raiz".