Segurança, transportes e ação social são apostas de Nuno da Câmara Pereira em Sintra

Segurança, transportes e ação social são apostas de Nuno da Câmara Pereira em Sintra

O candidato independente apoiado pelo Partido Nova Democracia (PND), Nuno da Câmara Pereira, afirmou hoje que as prioridades da sua candidatura a Sintra passam pela segurança, pelos transportes e pela ação social.
"Os principais problemas a combater são a segurança, a falta de mobilidade e [questões relativas à] solidariedade e assistência social. Estas são as três vertentes principais e qualquer uma das candidaturas estará sensibilizada para estes problemas", disse o candidato do PND.
Nuno da Câmara Pereira falava à agência Lusa após ter entregado no tribunal de Sintra as listas da sua candidatura às autárquicas de 29 de setembro e disse que pretende inverter "a fragilidade em que a solidariedade social" se encontra nesta altura de crise que o país atravessa.
Nuno da Câmara Pereira considerou que a inexistência de um hospital público no concelho de Sintra (cujos utentes são servidos pelo Hospital Fernando da Fonseca), faz com que "num concelho onde moram 400 mil pessoas, os filhos de Sintra vão nascer à Amadora ou a Cascais".
O candidato do PND lamentou ainda que, nos últimos 12 anos, "desde que [a socialista] Edite Estrela deixou Sintra, o concelho passou do quarto lugar para o 129.º lugar em questões de desenvolvimento".
O PND apresentou hoje as candidaturas às 11 freguesias do concelho de Sintra, bem como à Câmara Municipal e à Assembleia Municipal - o ator Nicolau Breyner -, num total de 350 pessoas.
Na corrida à Câmara de Sintra, além de Nuno da Câmara Pereira, são já conhecidas as candidaturas de Pedro Ventura (CDU), Basílio Horta (PS), Luís Fazenda (BE), Barbosa de Oliveira (independente), Pedro Pinto (PSD/CDS-PP/MPT), Marco Almeida (independente), José Lucena Pinto (PNR) e Nuno Azevedo (PAN).
A Câmara de Sintra é presidida por Fernando Seara, eleito pela coligação Mais Sintra (PSD/CDS-PP) nas eleições de 2009. O atual executivo municipal é composto por seis elementos da coligação PSD/CDS-PP, quatro do PS e um da CDU.