Santana Lopes vai suspender mandato em Lisboa por falta de tempo

Santana Lopes vai suspender mandato em Lisboa por falta de tempo
O vereador Pedro Santana Lopes anunciou hoje que vai suspender o cargo na Câmara de Lisboa, por três meses, por "falta de tempo" e porque quer "dar espaço" às decisões a tomar pelo candidato da coligação PSD/CDS-PP, Fernando Seara.
O atual provedor da Santa Casa Misericórdia de Lisboa admitiu que a decisão ainda não está formalizada e deverá ser comunicada na próxima reunião de câmara, sendo que a intenção é suspender as funções de vereador na autarquia por um período máximo de 90 dias.
A "manifesta falta de tempo" foi uma das razões apontadas por Santana Lopes, que admitiu ser "muito difícil" acumular o cargo de vereador da oposição com as funções de provedor da Santa Casa.
Outra das razões, acrescentou, é o período de eleições autárquicas que se avizinha e por já ter sido anunciado o candidato do PSD/CDS-PP à Câmara de Lisboa, Fernando Seara.
"Eu, que fui candidato em 2009, sei que quando há um novo candidato, quem decide e coordena a generalidade das posições é a pessoa que detém essa responsabilidade e eu quis que fizessem isso comigo (…), portanto também quero dar espaço a quem vem de novo", sustentou.
Pedro Santana Lopes falava aos jornalistas à margem da apresentação de um projeto sobre a Obra Completa do Padre António Vieira, uma coleção de 30 volumes dispersa por todo o mundo que vai ser editada com o patrocínio da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.
O atual provedor, que foi ainda questionado sobre a polémica em torno da limitação de mandatos autárquicos, esclareceu que, "de certeza absoluta, a lei foi feita para proibir mais de três mandatos” na mesma autarquia.
"Eu participei em projetos vários para elaboração dessa lei e tenho a certeza absoluta, como todos os que participaram comigo, que a lei foi feita para proibir mais do que três mandatos na câmara em questão", afirmou, reconhecendo, contudo, que a lei em vigor "tem uma redação equívoca".