Santa Casa promove empreendedorismo para jovens e seniores desempregados

Santa Casa promove empreendedorismo para jovens e seniores desempregados

Jovens e seniores desempregados, qualificados e com perfil empreendedor podem candidatar-se, a partir desta quinta-feira, a um programa de empreendedorismo intergeracional promovido pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) para criação de negócios sociais.

O programa “UAW - United At Work”, de âmbito nacional e internacional, tem como finalidade seleccionar jovens e seniores qualificados e desempregados para que “juntos criem novas empresas”, disse à agência Lusa a directora do Departamento de Empreendedorismo e Economia Social da Santa Casa.

Os jovens até aos 30 anos, com formação académica superior, e seniores entre os 50 e os 64 anos, qualificados pela experiência profissional e que estejam a sentir dificuldade em regressar ao mercado de trabalho, podem concorrer ao programa até 27 de Abril, adiantou Maria do Carmo Marques Pinto.

“São mais de 60 oportunidades reais de negócio social identificadas por painéis de especialistas, em áreas em que a Santa Casa e os parceiros do Banco de Inovação Social (BIS) possuem um vasto conhecimento, experiência e capacidade agregadora de activos de apoio”, nomeadamente na Saúde, Acção Social, Cultura e Património.

Estas ideias estão a ser estruturadas num “catálogo de oportunidades” para negócios sociais, que será apresentado no dia 23 de Abril.

Os candidatos seleccionados podem optar no catálogo pelo negócio com o qual se identificam mais.

“Achamos que isso é um valor acrescentado, uma maneira de dar mais eficácia ao apoio ao empreendedorismo, porque estas pessoas estão desempregadas e o grande desafio é que abracem um novo projecto de vida o mais rapidamente possível”, salientou a responsável.

Devido à “enorme taxa de mortalidade de projectos (normalmente 60% dos projectos não sobrevive ao primeiro ano), considerámos que o apoio ao empreendedorismo deve centrar-se na estruturação de oportunidades de negócio e seleccionar os perfis empreendedores mais adequados”, sustentou.

Contudo, ressalvou, isto “não quer dizer que não possamos seleccionar alguém em função da sua ideia, mas esta terá de ter na base uma oportunidade de negócio séria”.

Inicialmente serão seleccionados 200 candidatos e, numa segunda fase, 120, para criar 12 equipas intergeracionais, com um mínimo de duas pessoas e um máximo de cinco.

As candidaturas podem ser feitas através do website do UAW, usando um formulário que vai estar disponível na secção “Candidaturas".

As candidaturas seleccionadas deverão ser anunciadas no início de Maio.

O UAW é uma iniciativa de experimentação social, financiada pela Comissão Europeia por ser “radicalmente inovadora, ao inverter o modelo de apoio ao empreendedorismo, apresentando oportunidades concretas de negócios sociais, e porque reúne gerações para o fazer”, sublinhou Maria do Carmo Marques Pinto.

Além da Santa Casa, incluem-se entre os parceiros do UAW, a Câmara Municipal de Lisboa, a Fundação Calouste Gulbenkian, a Beta-i, o Inatel, a ACIDI, o ISCTE e o Instituto de Emprego e Formação Profissional, entre outros.