Santa Casa identifica oportunidades de negócio para desempregados

Santa Casa identifica oportunidades de negócio para desempregados

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) identificou 50 oportunidades de negócio para jovens e seniores desempregados e qualificados, nas áreas da saúde, ação social, cultura e património.

"Identificámos estas 50 oportunidades de negócio depois de dois 'brainstorming'" que reuniram "pessoas destacadas com grande experiência profissional" e também "especialistas da área financeira com um olhar mais crítico de sustentabilidade", afirmou à Lusa diretora da área de Empreendedorismo Social na SCML, Maria do Carmo Marques Pinto.

A também presidente do Banco de Inovação Social (BIS) da SCML falava à agência Lusa no âmbito do projeto United At Work (UAW), que visa promover o emprego entre jovens licenciados com idades até 30 anos e pessoas dos 50 aos 64 anos, com experiência profissional ao nível da direção e da gestão de equipas, em ambos os casos desempregados.

"Pensamos que definir previamente as oportunidades de negócio irá facilitar a criação da empresa", justificou Maria do Carmo Marques Pinto.

Referindo que esta é uma resposta "inovadora" a nível europeu, a diretora da SCML explicou que o processo se centra em "pegar no capital humano dos seniores, que de outra maneira se iria diluir, e oferecer aos jovens a possibilidade de criarem a sua própria empresa com eles".

Segundo Maria do Carmo Marques Pinto Acresce, estas são oportunidades "concretas" nas áreas da saúde, ação social, cultura e património, mas há liberdade para "uma certa criatividade na hora de desenvolver o próprio projeto", adiantou.

As candidaturas para o UAW abriram a 27 de março e uma semana antes do seu fecho, cerca de 1.500 pessoas manifestaram interesse pela iniciativa.

Entre os dias 28 de abril e 05 de maio, vão ser selecionados apenas 200 jovens e seniores, o que levou Maria do Carmo Marques Pinto a alertar para a necessidade de "se encontrar uma resposta para as outras pessoas que se candidataram e não vão poder ser selecionadas".

O projeto arranca a 12 de maio com uma primeira fase de inter-relação, para que os participantes se conheçam e formem equipas, de forma a avançar de seguida com as novas empresas