Rock in Rio: Bruce Springsteen e as canções que fintam a idade

Rock in Rio: Bruce Springsteen e as canções que fintam a idade
Perante mais de 67 mil espectadores, o músico norte-americano Bruce Springsteen mostrou na quinta-feira, no Rock in Rio Lisboa (RiR), que o passado não é um território distante e que há canções que fintam a idade.
 
No primeiro dia do festival, no Parque da Bela Vista, era de Bruce Springsteen que a maioria do público estava à espera. Entre os mais de 67 mil espectadores -- números da organização -- esteve a cantora Adele, que atua neste fim-de-semana em Lisboa.
Quatro anos depois de ter estado neste mesmo festival, Bruce Springsteen e a E Street Band tinham regresso marcado à boleia de uma digressão para celebrar os 35 anos de edição do álbum "The River", recentemente reeditado.
 
Mas a verdade é que em palco Bruce Springsteen alargou esse espelho retrovisor a álbuns do início da carreira ou igualmente antigos, como "Born in the USA" (1984), "Darkness ont the edge of town" (1978) e "Born to run" (1975).
 
Ao longo de mais de duas horas e meia, Bruce Springsteen teve pela frente uma plateia imensa e esforçou-se por mantê-la próxima e participante, descendo várias vezes do palco para cumprimentar as pessoas, pedindo palmas e desdobrando-se em agradecimentos.
 
Deixando para o fim os êxitos que todos esperavam -- "Glory days", "Born in the USA" ou "Dancing in the dark" - Bruce Springsteen foi tão expansivo, com "Badlands", como introspetivo, com "I'm on fire" e "Atlantic city", tão efusivo, com "Twist & Shout", como intimista, com "This hard land", que fechou o concerto.
 
Foi um contador de histórias de amor, de desilusão, de desemprego e sonho americano e um dos pontos altos do espectáculo -- registado amplamente em centenas de telemóveis - terá sido a interpretação da música "The River", numa comunhão entre o músico e o público.
 
Houve ainda tempo para uma admiradora subir ao palco e trocar uns passos de dança e abraços com o músico e para a banda interpretar "The promised land", a pedido de alguém do público que erguia um cartaz.
 
O Rock in Rio Lisboa prossegue hoje, sexta-feira, com os Queen + Adam Lambert como cabeças-de-cartaz.