Ribeira das Naus atrasa elétricos e autocarros da Carris

Ribeira das Naus atrasa elétricos e autocarros da Carris

A circulação de 13 carreiras de autocarros e elétricos que passam diariamente no eixo Campo das Cebolas-Praça do Comércio-Cais do Sodré, em Lisboa, está a ser afetada pelo congestionamento automóvel, informou a Carris, admitindo atrasos e incumprimento dos horários.

Esta situação deve-se à "concentração no eixo viário Rua da Alfândega-Praça do Comércio-Rua do Arsenal do seu próprio tráfego com o que circulava na Avenida Ribeira das Naus, devido ao encerramento desta via à circulação", disse hoje fonte da transportadora, na sequência de um pedido de esclarecimento feito pela agência Lusa.

Em causa estão, por exemplo, os serviços das carreiras 15E (Praça da Figueira-Algés), 18E (Cais do Sodré-Cemitério da Ajuda), 25E (Rua da Alfândega-Campo de Ourique), 711 (Terreiro do Paço-Alto da Damaia), 714 (Praça da Figueira-Outurela), 728 (Restelo-Portela) e 732 (Marquês de Pombal-Caselas).

Acrescem os autocarros 735 (Cais do Sodré-Hospital Santa Maria), 736 (Cais do Sodré-Odivelas), 759 (Restauradores-Estação do Oriente), 760 (Gomes Freire-Cemitério da Ajuda), 781 (Cais do Sodré-Prior Velho) e 782 (Cais do Sodré-Praça José Queirós).

A Carris reconheceu que a alteração na Ribeira das Naus gerou um "maior tempo para o atravessamento deste eixo viário", levando também a uma "grande irregularidade no serviço, designadamente atrasos e incumprimento dos horários".

O elevado volume de trânsito naquele local implica ainda o "encurtamento pontual de viagens para regularização das carreiras, afetando não apenas este eixo, mas a totalidade dos percursos".

A Carris já recebeu "muitas reclamações dos clientes", nomeadamente daqueles utilizam a zona congestionada.

Contudo, a empresa não indicou quando a situação vai ser solucionada, uma vez que tal "não depende da Carris".

Questionada pela Lusa, a Câmara de Lisboa indicou que "a Ribeira das Naus, de acordo com o anunciado previamente pelo presidente da Câmara de Lisboa, abrirá à circulação do transporte individual em setembro, com o regresso do período escolar", altura em que "o eixo Rua do Arsenal-Rua da Alfândega fica para os transportes públicos".

Sobre as alterações na Ribeira das Naus a partir do próximo mês (altura em que a avenida passará a abrir durante a semana e o ano letivo), a Carris comentou apenas que considera positivas "todas as medidas que facilitem a circulação dos transportes públicos".

Porém, admitiu que as soluções pensadas para os dias de maior fluxo passam por uma menor frequência das carreiras e pelo encurtamento dos trajetos para evitar estes locais congestionados, tal como já está a acontecer.

A Carris adiantou que está em conversações com a Câmara de Lisboa, "aguardando que sejam definidas medidas que permitam a circulação dos transportes públicos com regularidade".

O trânsito na Avenida Ribeira das Naus foi cortado em abril, para finalizar as obras de requalificação daquela zona ribeirinha da cidade, que terminaram em julho.