Retrospetiva com 70 imagens do fotógrafo Nicolás Muller em Cascais

Retrospetiva com 70 imagens do fotógrafo Nicolás Muller em Cascais

Uma retrospetiva com 70 imagens da vida e obra do fotógrafo húngaro Nicolás Muller (1913-2000), que passou por Portugal em fuga aos nazis, durante a Segunda Guerra Mundial, é hoje inaugurada, às 21:30, em Cascais.

De acordo com a organização, da responsabilidade da Fundação D. Luís I, a mostra intitula-se "Nicolás Muller. Obras-Primas" e vai estar patente no Centro Cultural de Cascais, até 17 de abril de 2016.

Entre as imagens apresentadas de forma cronológica estão as que realizou em Portugal, onde permaneceu apenas alguns meses, no Porto, tendo sido perseguido e detido pela polícia política do regime de Oliveira Salazar.

A exposição chega a Cascais integrada na programação da Mostra Espanha 2015, organizada em Portugal pelo Ministério da Educação, Cultura e Desporto do Governo de Espanha e pelo festival PhotoEspanha.

Depois de Espanha e França, e no âmbito do centenário do nascimento do fotógrafo húngaro Nicolás Muller, a retrospetiva tem por objetivo recordar cada uma das etapas da sua viagem em fuga à ameaça que o nazismo trouxe aos judeus na Europa.

Com curadoria de Chema Conesa, e produzida pela Comunidade de Madrid, esta mostra inclui cerca de 70 fotografias a preto e branco que fazem parte do espólio guardado pela filha de Nicolás, Ana Muller, atualmente propriedade do Arquivo Regional da Comunidade de Madrid.

Apresentados cronologicamente, de 1935 a 1981, os seus trabalhos vão desde os iniciais, realizados na Hungria, nos quais denuncia a situação feudal dos camponeses, até às reportagens, livros e retratos realizados em Espanha, onde veio a falecer.

Durante as viagens que realizou ao longo da vida, colaborou em várias publicações como a Paris Match, France Magazine, Regards, ABC, Informaciones, Semana, Mundo e África e Fotos.