Renault testa carros durante 72 horas seguidas com pilotos de ocasião

Renault testa carros durante 72 horas seguidas com pilotos de ocasião

Colocar na pista do Autódromo do Estoril cinco carros iguais aos que circulam nas nossas estradas, tripulados por condutores do dia-a-dia, durante 72 horas ininterruptas é o desafio inédito que a Renault Portugal vai levar a cabo durante o próximo fim de semana.

As “72 Horas Non-Stop Renault” têm lugar entre os próximos dias 31 de janeiro e 3 de fevereiro. Durante estes 4320 minutos, as cinco viaturas escolhidas só vão poder parar para atestar, trocar de condutor ou para operações como a troca de pneus (a Michelin é parceira do evento).

O objetivo da Renault é pôr à prova a qualidade e a fiabilidade dos seus carros num circuito tão exigente como o do Estoril.

Trinta e seis anos depois da vitória da Renault nas “24 Horas de Le Mans”, o construtor quer voltar a fazer história em termos de resistência. Assim pois, vai pôr na pista do Estoril cinco automóveis dos três modelos que contribuíram para que a Renault tenha liderado o mercado português durante 16 anos consecutivos: Clio, Mégane e Captur.

 

Em concreto, os modelos vão ser um Renault Clio TCe 90, um Renault Clio Sport Tourer dCi 90 EDC, um Renault Captur 1.5 dCi 90, um Renault Mégane Sport Tourer dCi 110 e um Renault Mégane Coupe 1.6 dCi 130. Cinco versões de três modelos que representaram 11.290 das 16.016 unidades vendidas pela Renault, em 2013, no mercado nacional. Ao mesmo tempo, serão quatro diferentes motores – TCe 90, 1.5 dCi 90, 1.5 dCi 110 e 1.6 dCi 130 – que equipam mais de 90% dos Renault vendidos em Portugal.

Os cinco vão equipar os pneus MICHELIN Energy Saver + e o MICHELIN Primacy 3, escolhidos para defrontar este desafio pelas suas prestações únicas que conjugam segurança, duração e poupança de combustível.

 

Apesar de várias condicionantes (como as condições atmosféricas) poderem não confirmar as previsões, tudo aponta para que, no final das “72 Horas Non-Stop Renault”, cada viatura tenha percorrido mais de 5.000 quilómetros. Esta é a distância de provas como as 24 Horas de Le Mans e o Dakar. Mas uma vez que os 5.000 quilómetros vão ser percorridos de forma ininterrupta, em apenas três dias, numa pista exigente e com condutores com idades e perfis de condução distintos, a distância vai equivaler a dezenas de milhares de quilómetros percorridos e a vários anos de utilização quotidiana.

 

No final das “72 Horas Non-Stop Renault”, a Renault Portugal vai disponibilizar à imprensa as cinco viaturas que participaram na acção, com o objectivo de serem sujeitas a peritagens técnicas independentes.

 

Apesar de uma equipa constituída por “vulgares” condutores (com diferentes experiências e idades) estar nomeada para conduzir ao longo das 72 horas, a Renault Portugal vai abrir a iniciativa aos membros das redes sociais, para que também eles possam efectuar turnos de condução no Circuito do Estoril. Mais informações em www.facebook.com/RenaultPortugal .

 

Uma acção que também tem uma vertente de responsabilidade social. Por cada volta realizada pelas cinco viaturas, a Operação Nariz Vermelho vai receber um euro. A Instituição Particular de Solidariedade Social é responsável por um programa de intervenção dentro dos serviços pediátricos dos hospitais portugueses, através da visita de palhaços profissionais.

 

Como admite Xavier Martinet, administrador-delegado da Renault Portugal, “o projecto das ´72 Horas Non-Stop Renault´ surge do desejo de querermos dar mais uma prova da qualidade e da fiabilidade da Renault. Os cinco anos de garantia, mas também os resultados dos vários inquéritos de fiabilidade independentes confirmam a excelência do trabalho desenvolvido pela marca. Mas como queremos que a percepção seja ainda maior, desenvolvemos esta ideia. Uma iniciativa aberta aos jornalistas, aos clientes e aos membros das redes sociais. Optámos por uma acção desta natureza, não por ousadia, mas por confiança e por ir de encontro a uma estratégia de estreitamento da relação marca-cliente. Aliás, a Renault Portugal tem feito esse trabalho nos últimos anos, desenvolvendo um conjunto de acções inovadoras no âmbito das redes sociais”.