Renault renova e melhora Captur

Renault renova e melhora Captur
Após quatro anos de sucesso e liderança nas vendas em toda a Europa, o Renault Captur sofreu uma renovação e surge agora melhorado em diversos aspectos, nomeadamente na qualidade dos materiais e no nível de equipamento.
 
À primeira vista as diferenças não são fáceis de descortinar, mas um olhar mais atento revela imagem exterior mais cuidada e moderna, ao estilo SUV. Na frente, a grelha recebe um distinto friso cromado, faróis com tecnologia full LED “Pure Vision”e novas protecções que reforçam a imagem aventureira deste crossover. 
 
Para lá da possibilidade de novas combinações de cores  (mais de 30) e de um tecto em vidro fixo, o novo Captur mostra evolução também no habitáculo.
 
Os materiais e acabamentos são agora de melhor qualidade, mantendo-se duas das características que ajudam a perceber a popularidade do modelo, por exemplo, junto do público feminino: o gavetão porta-luvas, onde cabe quase toda a tralha e os forros dos bancos amovíveis para lavagem.
 
O reforço da tecnologia e do equipamento a bordo é outra das notas a ter em conta, com destaque para o Media Nav Evolution, integrado num ecrã táctil de 7'', com funções multimédia e de navegação, ou para o R-Link Evolution, ainda mais dotado e recheado e funções e conecções.
 
Em teste, o JR utilizou duas unidades, uma dotada com o novo bloco a gasolina Energy TCe, de 120 cv, e o Diesel 1.5 dCi de 110 cv na versão Exclusive XMOD, equipada com Grip Control. 
 
Esta última, mais indicada para quem procura aventura e trilhos fora de estrada, dispõe de sistema de controlo de tracção adaptável para situações mais difíceis: neve, lama, terra ou chuva.
Não torna o Captur num 4x3, mas consegue surpreender pela positiva. O sistema controla a tracção dianteira, distribuindo binário e distribuição da travagem em função da aderência de cada roda.
 
O bloco Energy TCe 120 é a grande novidade, podendo ser associado a caixa manual de seis velocidades ou à caixa automática de dupla embraiagem EDC. 
 
Não será tão económico quanto a versão TCe 90, mas revela-se como excelente alternativa à oferta Diesel, aqui complementada com o 1.5 dCi 90.
 
 
 
Paulo Parracho