Renault obtém a melhor quota de mercado da última década em Portugal

Renault obtém a melhor quota de mercado da última década em Portugal
A Renault assegurou, em 2014, o seu 17.º ano consecutivo de liderança no mercado automóvel nacional, com 21.670 unidades vendidas (incluindo passageiros e comerciais ligeiros) e um crescimento das vendas de 35,3%.
 
A Renault liderou de forma confortável no mercado de Veículos de Passageiros com 11,4% de quota de mercado (16.319 automóveis vendidos) e nos Comerciais Ligeiros (5.351 unidades vendidas) com uma quota de 20,4% perto do record histórico obtido em 2013. 
“O ano de 2014 acabou por ser mais positivo do que antevíamos no início mas continua a um nível extremamente baixo.  No início do ano tornámos públicas as nossas ambições: manter, com a marca Renault, a liderança em todos os mercados onde estamos presentes, e aumentar o volume de vendas e a quota de mercado da Dacia independentemente da evolução do mercado. E ambos os objectivos foram plenamente cumpridos e ultrapassados”, revelou Xavier Martinet, administrador-delegado da Renault Portugal, durante uma visita à fábrica da Renault Cacia, quer serviu também para a divulgação e análise dos números comerciais relativos a 2014. 
Num ano marcado pela consolidação da sua gama (o lançamento do Twingo apenas ocorreu no final do ano), a Renault apoiou-se nos pilares da sua gama (Mégane e Clio) ao qual se adicionou o Captur, para manter a sua liderança com uma quota de mercado de 11,4%.
O Clio voltou a ser o modelo líder em Portugal com 7.702 unidades vendidas, enquanto  o Captur que se impôs como líder incontestado do seu segmento e que com 3.118 unidades vendidas ficou à beira do Top 10. 
A gama Mégane mantém-se como um dos pilares da marca e vendeu 4.427 unidades em 2014 com particular destaque para a break Mégane Sport Tourer que mantém o estatuto de carrinha mais vendida em Portugal. Um lugar que detém, consecutivamente, desde 2004.
Por seu lado, a Dacia vendeu, em Portugal, 3.893 unidades (3.433 automóveis de passageiros e 460 comerciais ligeiros) a que correspondeu uma quota de mercado de 2,3% e a entrada no Top 15 (com o 14º posto) das marcas mais vendidas em Portugal.