Relatório preliminar a acidente aéreo em Tires que causou cinco mortos adiado para junho

Relatório preliminar a acidente aéreo em Tires que causou cinco mortos adiado para junho
O relatório preliminar à queda de uma aeronave em Tires, Cascais, ocorrida a 17 de abril, causando cinco mortos, deveria ser publicado 30 dias após o acidente mas só estará concluído no início de junho, foi hoje anunciado.
 
"Por se aguardar os resultados de peritagens feitas recentemente a componentes da aeronave, apenas no início de junho será publicado um relatório preliminar sobre o acidente", refere uma nota publicada hoje na página da internet do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAAF), que tem atualmente apenas dois investigadores.
 
O prazo de 30 dias para a publicação do relatório preliminar ao acidente, que causou a morte dos quatro ocupantes e de um homem que se encontrava no local da queda do avião, foi anunciado pelo GPIAAF no próprio dia do acidente e reiterado no dia seguinte pelo ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques.
 
A aeronave Piper PAY2 descolou do Aeródromo Municipal de Tires, concelho de Cascais, com destino a Marselha, com um piloto de nacionalidade suíça e três passageiros de nacionalidade francesa, um casal e uma mulher.
 
O bimotor, modelo Cheyenne II, da Symbios Orthopedic, empresa especializada em implantes ortopédicos, despenhou-se cerca de dois quilómetros após a descolagem, no parque de descargas de um supermercado LIDL, numa densa área habitacional.
 
O acidente provocou a morte do piloto, Jean Plé, 69 anos e diretor da Symbios Orthopedic, de Jean-Pierre Franceschi, conhecido cirurgião ortopédico ligado ao mundo do desporto, da sua mulher e de uma amiga de ambos.
 
A quinta vítima mortal é um camionista português, com cerca de 40 anos, que, aquando da queda da aeronave, se encontrava a descarregar produtos no parque de mercadorias do LIDL, na freguesia de São Domingos de Rana (vila de Tires).
 
Além das vítimas mortais, registaram-se ainda quatro feridos ligeiros, por inalação de fumo, dois dos quais foram assistidos no local e os outros dois transportados para o hospital de Cascais.
 
Estiveram envolvidos nas operações de socorro 93 operacionais apoiados por 33 viaturas.
 
Organismos da Suíça, França, Estados Unidos da América e Canadá estão a participar na comissão de investigação ao acidente aéreo, disse anteriormente à agência Lusa fonte do GPIAAF.
 
O GPIAAF contará também com o contributo dos fabricantes da aeronave, motores e hélices.