Regimento de Engenharia sai da Pontinha, Mafra passa a Escola de Armas

Regimento de Engenharia sai da Pontinha, Mafra passa a Escola de Armas

O Chefe do Estado-Maior do Exército (CEME) anunciou hoje a transferência do Regimento de Engenharia 1, situado na Pontinha, para as instalações da Escola Prática de Engenharia de Tancos, em Vila nova da Barquinha.
A mudança hoje anunciada pelo general Artur Pina Monteiro decorre do projeto de reestruturação em curso no exército português e que vai ainda "polarizar" todas as escolas práticas existentes na futura Escola das Armas, em Mafra, escola que resultará da junção da Escola Prática de Infantaria e do Centro Militar de Educação Física e Desporto, hoje instaladas naquela localidade.
Questionado sobre as restrições imediatas com o chumbo do Tribunal Constitucional (TC) a algumas das medidas apresentadas no Orçamento de Estado, o CEME admitiu que "podem vir a ter reflexos" no orçamento do exército mas, assegurou, "nada que ponha em causa a operacionalidade" militar.
"Temos a noção que não podemos aspirar a querer adquirir novo material e um compromisso para que não se crie nova despesa nas forças militares portuguesas. Como tal, vamos tirar o máximo partido de tudo o que temos sem perder de vista o horizonte de médio prazo, um horizonte de desenvolvimento", afirmou Pina Monteiro, em declarações à agência Lusa.
À margem das celebrações do 35º aniversário da Brigada Mecanizada, instalada no Campo Militar de Santa Margarida, em Constância, o CEME disse que o objetivo é "polarizar e agregar" as escolas práticas em Mafra para, na nova Escola das Armas, se desenvolver um trabalho "em rede", com treino ao nível formativo e operacional. 
Segundo disse ainda Pina Monteiro, a Escola Prática de Engenharia, em Tancos, e a Escola Prática de Cavalaria, situada em Abrantes, vão "naturalmente" ser abrangidas pelo processo de reestruturação em curso, tendo o general assegurado que nenhuma unidade militar será encerrada no país.
"Nenhum campo militar vai ser encerrado, antes o dispositivo vai ser alvo de uma reestruturação. O Regimento de Infantaria nº 1, por exemplo, vai ser transferido para a Escola Prática de Tancos, uma guarnição que vai ser robustecida com uma grande capacidade operacional de engenharia, e para a Escola Prática de Abrantes vai uma unidade polivalente do exército", precisou.
Artur Pina Monteiro disse ainda que o Regimento de Artilharia nº 5, situado na Serra do Pilar, no Porto, vai ser transferido para Vendas Novas, onde está neste momento a Escola Prática de Artilharia, e que a nova Escola das Armas deverá começar a funcionar no "início do próximo ciclo de instrução" militar, no mês de outubro. 
"A implantação global em Mafra deverá demorar dois anos a realizar", disse ainda o CEME, tendo feito o elogio às condições de trabalho verificadas no Campo Militar de Santa Margarida.
"Este campo militar tem sido, é, e vai continuar a ser determinante para o treino do exército, com capacidades que não podemos nem queremos abdicar", frisou.