Real faz história na cidade de Queluz ao eliminar o europeu Arouca da Taça de Portugal

Real faz história na cidade de Queluz ao eliminar o europeu Arouca da Taça de Portugal
Um golo do reentrado avançado Nélson, aos 85 minutos, ditou hoje a vitória do Real Massamá sobre o Arouca por 1-0 e qualificou a equipa de Queluz para a quarta eliminatória da Taça de Portugal de futebol.
 
 
Um triunfo justíssimo da equipa que milita no Campeonato de Portugal (lidera a série G), que se revelou superior em todos os aspetos ao conjunto da I Liga.
 
Grande exibição da equipa anfitriã, que até poderia ter goleado o Arouca se tivesse sido mais eficaz na hora do remate.
 
O Massamá teve mais posse de bola e ousadia atacante ao longo de toda a contenda. Aos 15 minutos, e na sequência de um pontapé de canto, marcado na esquerda por Jorge Bernardo, a bola foi ao poste da baliza do Arouca. Foi a primeira sensação de golo em Massamá.
 
Só a partir da meia hora de jogo é que o conjunto da I Liga conseguiu aparecer com maior frequência no meio campo contrário, mas sem criar lances de perigo.
 
E até seria a turma anfitriã a criar a primeira grande oportunidade de golo, por Érico Castro, aos 34 minutos. O possante avançado brasileiro apanhou a defesa contrária em contrapé, foi mais rápido do que os centrais adversários, isolou-se e, já dentro da área, disparou ao lado da baliza defendida por Rui Sacramento.
 
Acentuou-se o domínio do Real Massamá na segunda parte, que falhou várias hipóteses de inaugurar a contagem. Primeiro por Guti, que se isolou e rematou contra o corpo de Rui Sacramento. Na recarga, Érico Castro cabeceou para a baliza deserta, mas Hugo Basto ainda desviou para canto.
 
Logo de seguida, o avançado Guti foi derrubado na grande área do Arouca, mas Érico Castro desperdiçou o respetivo penálti.
 
Nova grande chance de marcar para o Masssmá, aos 66 minutos, mas a jogada de Palácios acabou por ser desperdiçada pelo guineense Brash, que chutou contra a atmosfera, com a baliza arouquense completamente escancarada.
 
Prosseguiu o 'festival' de desperdício da equipa anfitriã. Aos 72 minutos, Palácios meteu o 'turbo', arrancou veloz pela esquerda e, completamente isolado, disparou rasteiro para as mãos de Rui Sacramento.
 
Até que, aos 85 minutos, o reentrado avançado Nélson acabou com o sofrimento dos adeptos do Real Massamá, ao converter o remate e o golo que ditou a vitória e a manutenção da aventura na Taça de Portugal.
 
Jogo disputado no Estádio do Real Sport Clube de Massamá.
 
Real Massamá-Arouca, 1-0.
 
Ao intervalo: 0-0.
 
Marcador:
 
1-0, Nélson (85 minutos).
 
Equipas:
 
- Real Massamá: Patrick Costinha, Jorge Bernardo, André Almeida, Nuno Tomás, Matheus Leal, Rúben Marques, Brash, Thabo Cele (Matheus Costa, 90+2), Guti (Nélson, 76), Palácios (Luís Mota, 89) e Érico Castro.
 
(Suplentes: Gonçalo Ferreira, Casimiro, Córdoba, Luís Mota, Ivan Dias, Nelson Mendes e Matheus Costa).
 
Treinador: Filipe Martins.
 
- Arouca: Rui Sacramento, Carleto, Hugo Basto, Jubal, Vítor Costa, André Santos, Nuno Coelho, Crivellaro (Nuno Valente, 53), Zequinha, Kuca (Mateus, 78) e Marlon.
 
(Suplentes: Bracali, Artur, Nuno Valente, Mateus, Gegé, Sancidino Silva e Walter Gonzaléz).
 
Treinador: Lito Vidigal.
 
Árbitro: João Mendes (Santarém).
 
Ação disciplinar: cartão amarelo para Érico Castro (41 minutos), Hugo Basto (45+1), Nuno Coelho (49), Carleto (52) e Nuno Tomás (59).
 
Assistência: cerca de 600 espetadores.