PSP diz que 'meets' não têm cariz violento ou criminal

PSP diz que 'meets' não têm cariz violento ou criminal

O Comando Metropolitano de Lisboa da PSP (Cometlis) manifestou-se convicto de que os encontros marcados por jovens através das redes sociais não têm cariz violento ou criminal, mas sublinha que vai estar atento aos próximos "meets" já agendados.

"Estamos convictos de que estes encontros têm finalidades próprias da cultura juvenil, sem qualquer intenção violenta ou criminal. No entanto, a PSP estará atenta e vigilante durante o desenrolar dos encontros", sublinhou fonte oficial do Cometlis, à agência Lusa.

Segundo o Cometlis, a polícia "está atenta à realização destes encontros e a trabalhar no sentido de colher toda a informação necessária para perceber a motivação dos jovens (...), bem como a escolha dos locais e número de participantes".

A polícia assegurou que "analisará casuisticamente cada encontro do qual tiver conhecimento" e que, tendo em conta essa análise, "adequará o policiamento local numa lógica preventiva".

Questionado sobre a atuação da polícia nos incidentes de quarta-feira ocorridos junto ao Centro Comercial Vasco da Gama, em Lisboa, dos quais resultaram quatro detidos e ferimentos em cinco polícias e num jovem, o Cometlis considerou que teve a atuação adequada.

"A PSP respondeu de forma célere e eficaz às necessidades da ocorrência, restabelecendo a ordem pública, o que revela preparação e adequada gestão de meios", sustentou o Cometlis.

Quatro jovens, com idades entre os 16 e os 23 anos, foram detidos durante a desordem que provocou ferimentos ligeiros em cinco polícias, tendo um jovem de 15 anos ficado com uma perfuração na zona lombar, após ter sido agredido com uma chave de fendas.

Em comunicado, a PSP explicou que o caso ocorreu cerca das, 17:30, quando grupos de jovens se envolveram "em alguns focos de desordem, com correrias constantes", os quais terminaram em confrontos entre dois grupos de participantes.

A polícia acrescentou que, "repentinamente, dezenas de jovens invadiram os corredores do Centro Comercial Vasco da Gama e começaram a correr desenfreadamente", entrando em algumas lojas.

Dois dos detidos vão ser julgados em processo sumário às 14:30 de segunda-feira, por resistência e coação a funcionário, no Tribunal de Pequena Instância Criminal de Lisboa.

Duas jovens ficaram sujeitas a apresentações periódicas às autoridades, seguindo a investigação em processo comum.