PSP de Lisboa cria equipas para apoiar turistas da capital

PSP de Lisboa cria equipas para apoiar turistas da capital

A PSP de Lisboa  vai criar quatro equipas especializadas de Turismo que irão a partir de junho acompanhar e prestar apoio aos turistas que visitam a capital portuguesa.

Cada uma das equipas será formada por quatro elementos, sendo no total 16 os agentes da PSP que ficarão responsáveis por assegurar especificamente durante todo ano e 24 horas por dia a segurança dos turistas, assim como prestar-lhes toda a ajuda necessária.

"O turismo é um eixo estratégico no qual queremos apostar. Lisboa é das cidades da Europa e do mundo mais procuradas em termos de turismo e esta será uma forma de servir melhor os turistas", justificou aos jornalistas o superintendente da PSP Jorge Maurício na sede do Comando Metropolitano de Lisboa, em Moscavide (Loures).

O responsável explicou que os agentes que vão integrar as equipas de Turismo atuarão sob o modelo de policiamento de proximidade e terão como mais-valia o facto de terem uma formação em várias línguas, nomeadamente inglês, francês, espanhol e alemão.

"Eles não deixarão de ser polícias e se for necessário farão detenções, mas têm aqui uma dupla vertente", destacou.

As equipas irão ser destacadas para as zonas de maior afluência turística, como a Baixa da cidade, o Parque das Nações e Belém.

Jorge Maurício referiu que as equipas poderão começar a trabalhar no terreno assim que tiverem terminado as ações de formação nas línguas espanhola e inglesa e que disponham de todo o apoio logístico, o que se perspetiva que seja em junho.

No entanto, estes elementos já irão prestar algum apoio durante a final da Liga dos Campeões, que se realiza no dia 24 deste mês no Estádio da Luz, em Lisboa.

"A formação total que vamos fazer de espanhol e inglês será terminada a posteriori. No entanto, estes homens serão utilizados já neste próximo evento, no apoio a toda a ação policial", explicou.

Atualmente a PSP já dispõe de esquadras de Turismo em Lisboa e Cascais, mas, segundo Jorge Maurício, têm uma filosofia diferente das equipas que agora são criadas, uma vez que "são apenas espaços físicos onde se registam e se encaminham as queixas dos turistas".

"Aqui é estarmos mais próximos do turista. É estarmos no terreno e podermos prevenir comportamentos de risco", apontou.