PSD de Almada promete reforçar apoio social, economia e turismo para desenvolver o concelho

PSD de Almada promete reforçar apoio social, economia e turismo para desenvolver o concelho

As áreas social, económica e turística são os eixos que o candidato do PSD à presidência da Câmara de Almada considera “fundamentais para desenvolver o concelho. Para António Neves, os almadenses “não podem continuar a viver numa cidade estagnada, sem ideias e sem projectos”.

O candidato social-democrata falava durante a apresentação pública dos cabeças de lista do PSD às juntas de freguesia, onde defendeu a implementação de um plano de Apoio Social efectivo aos mais desfavorecidos e famílias carenciadas, ajudando à sua reinserção social e dignificando as pessoas. Outra das medidas do seu programa é o apoio ao emprego jovem.

As Áreas Urbanas de Génese Ilegal são também uma preocupação, “sendo necessário encontrar uma solução para uma situação que é totalmente inaceitável”, afirma António Neves, que considera que “uma autarquia tem que estar ao serviço das pessoas e apoiar quem dela mais precisa”.

No âmbito do desenvolvimento económico, defende que o concelho “tem de atrair novas empresas, que criem mais postos de trabalho e gerem mais riqueza”. Isto “irá traduzir-se numa maior e melhor qualidade de vida para os almadenses”. No seguimento desta medida, quando for presidente da Câmara de Almada propõe-se a “fomentar a criação de emprego, agilizar os processos de licenciamento, juntamente com preços de direito de superfície mais atraentes”.

Apoiar o comércio local é outra das prioridades, criando apetências quer financeiras quer de carácter lúdico para que seja atractivo para as populações. “Queremos ser uma câmara amiga de quem investe e quer criar riqueza no nosso concelho”, sublinha.

Quando ao desenvolvimento turístico, António Neves defende um sector de “qualidade” vocacionado para as praias, frente ribeirinha, passando pelo Turismo Religioso, à cultura. “Almada tem tudo para atrair visitantes que deixem riqueza que possamos reinvestir na nossa Terra”, mas para isso são necessárias “infra estruturas, para além de modernizar e requalificar os equipamentos existentes.

O desenvolvimento turístico passa ainda pela extinção da ECALMA, que segundo o candidato “muito tem prejudicado a população e os comerciantes”.

A ideia de que Almada “é uma terra de oportunidades e potencialidades” foi também focada pelo candidato do PSD à Assembleia Municipal. Para Nuno Matias, deputado e presidente do PSD de Almada, os almadenses “querem um desenvolvimento diferente” e é por esse caminho que o PSD local vai seguir.

“Antes do partido estão a nossa terra e as nossas gentes”, afirma. Ao mesmo tempo manifesta o desejo de resolver “os problemas que existem há 38 anos de poder comunista, onde muito continua por concretizar”. Outra das suas garantias é “tornar a Assembleia Municipal na verdadeira casa da democracia almadense”.

Como candidatos às juntas de freguesia, o PSD aposta em Jorge Pedroso de Almeida como cabeça-de-lista à Freguesia da Costa da Caparica, em Anabela Serra para liderar a União de Freguesias de Almada, Cova da Piedade, Pragal e Cacilhas, Ladislau Batalha para a União de Freguesias de Caparica e Trafaria, Carlos Botelho como número um da lista à União das Freguesias da Charneca da Caparica e Sobreda e Sónia Faria para a União das Freguesias de Laranjeiro e Feijó.

Em representação dos candidatos do PSD às freguesias, Jorge Pedroso de Almeida enunciou alguns dos objectivos mais importantes, tal como o alargamento do horário de atendimento ao público, a preocupação com a erosão costeira, melhores condições de segurança e protecção civil. Mais e melhor limpeza urbana e das praias, reforçando meios neste sector.

Em apoio aos candidatos aos órgãos autárquicos de Almada, o secretário-geral do PSD, Matos Rosa, esteve presente e mostrou-se confiante na candidatura de António Neves. “Por todo o seu trabalho realizado, merece ser presidente”, disse.