PS de Oeiras critica retirada de pelouros a vereadora da câmara

PS de Oeiras critica retirada de pelouros a vereadora da câmara
A concelhia do PS de Oeiras manifestou hoje "muita preocupação" com a decisão do presidente da câmara, Paulo Vistas, de retirar pelouros à vereadora Madalena Castro, eleita pelo mesmo movimento independente que lidera o executivo.
 
O presidente da Câmara de Oeiras, Paulo Vistas (do partido Isaltino Oeiras Mais À Frente - IOMAF), retirou os pelouros à vereadora Madalena Castro, uma decisão que, segundo a autarquia, surgiu na sequência de "várias queixas" no departamento da responsabilidade da vereadora.
 
Perante a decisão, o PS refere hoje, em comunicado, que vê a notícia com "muita preocupação" e acusa o atual executivo de, ao longo de 16 meses de governação, ter apresentado muitas evidências “da grande dificuldade na gestão de uma equipa que deveria estar focada no trabalho em prol dos munícipes e do município".
 
Os socialistas consideram que a "fragilidade" mostrada pela autarquia e a "instabilidade" provocada no município "reforçam a incapacidade, cada vez mais visível, de encontrar soluções para os problemas que se arrastam há anos, sem solução à vista".
 
O PS criticou a forma como o assunto foi "tratado publicamente" e instou Paulo Vistas a "concentrar-se no governo do município e na resolução dos tantos assuntos que esperam resposta".
 
Segundo informações do gabinete de comunicação da Câmara de Oeiras, nos últimos tempos registou-se um "grande mau estar com técnicos e dirigentes do departamento" da responsabilidade de Madalena Castro.
 
A situação arrastou-se até ao pedido de demissão do diretor de departamento, Nuno Vasconcellos, que foi recusada pelo presidente da câmara.
 
De acordo com a mesma fonte Paulo Vistas tentou, por diversas vezes, contactar Madalena Castro para esclarecer o que se passava, mas "a vereadora nunca se mostrou disponível".
 
De acordo com a autarquia, a vereadora escreveu uma carta ao presidente da câmara a dizer que "não admitia quaisquer alterações no seu departamento", posição que levou então Paulo Vistas a retirar-lhe os pelouros que eram da sua competência.
 
A decisão foi tomada a 27 de fevereiro e a reatribuição das pastas ainda não foi decidida. O assunto deverá ser discutido em reunião de câmara, na quarta-feira.
 
A vereadora, que integra os executivos da câmara desde 2005 pelo IOMAF era responsável pelas obras municipais, trânsito e transportes, espaços verdes, iluminação pública e controlo das intervenções dos concessionários de serviços públicos.