Proteção Civil alerta para possíveis inundações e quedas de árvores no fim de semana

Proteção Civil alerta para possíveis inundações e quedas de árvores no fim de semana
A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) alertou hoje para a possibilidade de inundações, formação de lençóis de água e queda de ramos ou árvores devido à previsão de chuva e vento para o fim de semana.
 
O aviso à população surge após o contacto realizado hoje pelo Comando Nacional de Operações de Socorro (CNOS) da ANPC com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), que prevê um agravamento das condições meteorológicas para sábado, nas regiões do sul, estendendo-se à região centro, no domingo.
 
Para sábado, o IPMA prevê períodos de chuva por vezes forte e acompanhada de trovoada, nas regiões do sul a partir do final da madrugada e nas regiões do centro a partir do início da tarde até ao final do dia, em especial no Algarve e Baixo Alentejo.
 
No domingo, os períodos de chuva vão ser, por vezes, forte e acompanhados de trovoada, nas regiões do sul e do centro, em especial no Algarve onde se prevê mais intensa e se prolonga até ao início da manhã de segunda-feira.
 
No comunicado, a ANPC adianta que o vento vai soprar forte, entre sábado e segunda-feira, e, por vezes, com rajadas até 75 quilómetros por hora, no litoral a sul do cabo Mondego, e com rajadas até 90 quilómetros por hora, nas terras altas.
 
Face a estas condições meteorológicas, a Proteção Civil alerta para a possibilidade de piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água e gelo, cheias rápidas em meio urbano e inundações nas zonas historicamente mais vulneráveis, além da possível queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte.
 
A ANPC indica também que podem ocorrer possíveis acidentes na orla costeira.
 
Nesse sentido, a ANPC apela à população para adotar comportamentos adequados, principalmente nas zonas historicamente mais vulneráveis.
 
Entre as medidas, a ANPC recomenda a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas, adoção de uma condução defensiva e redução da velocidade.
 
Não atravessar zonas inundadas, garantir uma adequada fixação de estruturas soltas e ter especial cuidado na circulação junto a áreas com árvores e na orla costeira e zonas ribeirinhas são outros medidas preventivas sugeridas pela Proteção Civil.